Bebês

9 benefícios da amamentação prolongada

Até quando devemos amamentar? Será que existe uma idade limite ou um momento em que o leite materno já não é mais benéfico para as crianças?

9 benefícios da amamentação prolongada

A amamentação é uma das experiências mais incríveis da maternidade e não há dúvidas sobre o quão importante ela é para a saúde do bebê. Mas até quando devemos amamentar? Será que existe uma idade limite ou um momento em que o leite materno já não é mais benéfico para as crianças?

De acordo com a Organização Mundial da Saúde, a amamentação deve ser exclusiva até os 6 meses - o que significa que o bebê só deve receber leite materno até lá - e complementar até os 2 anos ou mais.

Sim, a recomendação é que o aleitamento materno siga até, pelo menos, os 2 anos de idade, em paralelo com a alimentação da criança, que deve ser rica e variada. Mas ele pode (e deve) prosseguir se mãe e filho desejarem.  

“Além de colo e aconchego, mamar deixava a Malú mais segura e também foi muito importante para a saúde dela”, conta Raquel Pedro, mãe de Maria Lúcia, de 4 anos. O desmame para as duas aconteceu de forma natural e tranquila, como parte do processo de crescimento da garotinha. “Com 3 anos e 2 meses, ela me disse que não queria mais mamar e que o peito seria agora só do Davi, seu irmão menor”, explica Raquel.

O ideal é mesmo que o desmame seja de forma natural, ou feito gentilmente através de conversas, quando a mãe achar que realmente é necessário parar antes da criança pedir.

Infelizmente, muitas vezes vemos pressões sociais para que a mulher pare de amamentar, ouvindo coisas como “essa criança é muito grande para mamar” ou “você está fazendo mal a ela”.

Mas a verdade é que manter a amamentação só traz benefícios para mãe e bebê. Confira 9 deles abaixo.

(Foto: Getty Images)

1
Nutrição
De acordo com informações do Unicef, no segundo ano de vida, 500 ml de leite materno fornecem 95% das necessidades de vitamina C, 45% das de vitamina A, 38% de proteína e 31% do total de energia que uma criança precisa diariamente. E, mesmo depois dos 2 anos, o leite materno ainda é uma importante fonte de nutrientes.
2
Saúde
O caráter imunológico da amamentação continua a valer. “O leite materno previne a criança de doenças como infecções gastrointestinais, respiratórias e urinárias, principalmente”, explica a pediatra Silvia Gioielli. Além disso, quando as crianças ficam doentinhas e não querem comer nada, o leite materno oferece nutrição e conforto para que se recuperem mais rapidamente.
3
Segurança
Você pode até ouvir por aí que crianças que mamam após os 2 anos ficam mais dependentes da mãe, mas saiba que isso não é verdade. Uma criança que tem o aconchego da mamada sempre que precisa torna-se mais segura e confiante para desbravar o mundo. “As crianças que conquistam a sua independência em seu próprio ritmo, são mais seguras que as crianças forçadas a isso prematuramente”, tranquiliza a pediatra.
4
Desenvolvimento dos músculos da face
“Mamar no peito é um ótimo exercício da musculatura da face e da boca, o que estimula favoravelmente as funções da respiração e deglutição”, afirma Silvia. Isso não acontece com o uso da mamadeira, pois é justamente o movimento que o bebê faz para ordenhar a mama que favorece o desenvolvimento harmonioso da face e da dentição.
5
Menos chances de alergias
A proteína das fórmulas infantis é derivada do leite de vaca e tem grande potencial de causar alergias. A soja também entra para a lista de alimentos com grande potencial alergênico. Portanto, quanto mais tarde seu filho tiver contato com eles, melhor.
6
Inteligência
Pesquisadores da Escola de Medicina de Christchurch, na Nova Zelândia, conduziram um estudo que mostrou que crianças amamentadas por mais tempo têm melhores resultados na escola. David M. Ferguson e L. Jonh Horwood, autores da pesquisa, defendem a ideia de que as gorduras insaturadas encontradas no leite humano são importantes para o crescimento do cérebro e do sistema nervoso.
7
Vínculo
A amamentação constitui um importante processo de vínculo entre mãe e criança. No caso da amamentação prolongada, esse processo continua a crescer e a criar bases sólidas e importantes para o desenvolvimento do seu filho.
8
Mãe saudável
A amamentação reduz os riscos de câncer de mama (proporcional ao tempo que amamenta), reduz a incidência de osteoporose e diminui riscos de câncer de útero e de ovário.
9
Economia
As vantagens da amamentação prolongada também chegam ao seu bolso, já que você não precisará gastar dinheiro com as fórmulas infantis.