Bebês

Entenda os primeiros reflexos do recém-nascido

Algumas lições você não precisará ensinar para seu bebê. Sim, ele nascem sabendo!

Entenda os primeiros reflexos do recém-nascido

Quem é mãe sabe o quanto o coração aperta quando o bebê, que mal saiu da barriga, abre o berreiro durante os primeiros exames feitos logo após o parto. Entretanto, a importância desse procedimento é fundamental para a saúde do recém-nascido, que terá seus primeiros reflexos testados pelo médico.

Tais reflexos são os atos involuntários que todos os seres vivos têm frente a um estímulo e estão relacionados ao instinto de sobrevivência. No bebê que acabou de nascer, são indicadores de seu estado geral e desenvolvimento.

“A maior parte das atividades que o bebê fará nas primeiras semanas de vida são puramente reflexos. Por exemplo, quando você põe o seu dedo na boca do bebê, ele não pensa no que fazer, mas começa a chupá-lo por puro reflexo. Se você colocá-lo sob uma luz forte, ele vai fechar os olhinhos fortemente, por reflexo também. O bebê nasce com essas respostas automáticas; algumas das quais o acompanham por alguns meses, outras somem em algumas semanas”, explica o pediatra Jorge Huberman.

Fases são importantes

Os reflexos fornecem muita informação sobre o estado neurológico do bebê. Quando um reflexo não aparece no momento que deveria ou persiste por mais tempo que o normal, isso pode ser um sinal de alerta.

“Grande parte dos primeiros reflexos do bebê começam a desaparecer no segundo ou terceiro mês de vida. O bebê pode até parecer menos ativo à medida em que seus reflexos vão desaparecendo, mas os seus movimentos a partir de agora passam a ser intencionais, progredindo para uma maior maturidade”, afirma o médico.

Confira alguns dos principais reflexos que fazem parte dos primeiros meses de vida do bebê:

1. Sugar: ninguém precisa ensinar o recém-nascido a mamar. Ele simplesmente já nasce sabendo. “Você talvez tenha visto através de uma ultrassonografia o bebê chupando o dedo ainda dentro do útero”, exemplifica o médico.

2. Dar passinhos: o bebê pode ainda não conseguir aguentar o próprio peso, mas é só sentir segurança quando você o está segurando, que ele já fica firme, de pezinho, e ensaia, inclusive, alguns pequenos passos.

“Este reflexo desaparece após os dois meses de vida, mas a atitude de andar reaparece como vontade própria por volta dos 12 meses, quando o bebê vai começar a andar”, explica o especialista.

3. Apertar com os dedos das mãos e flexionar os dedos dos pés: quando você acaricia a palma da mão do bebê, ele imediatamente segura o seu dedo. Algo semelhante acontece quando ele tem a sola do pé acariciada: os dedinhos do pé se flexionam de forma firme.

“Nos primeiros dias após o nascimento, a força que o bebê faz ao apertar os dedos é tão forte que nos dá a impressão de que ele poderia até sustentar seu próprio peso. Mas não tente fazer isso, pois ele ainda não tem controle sobre suas ações e pode se soltar e cair repentinamente”, alerta o pediatra.

4. Instinto de defesa: não dá para imaginar que aquele serzinho tão indefeso consiga se proteger de alguma coisa, mas é verdade. O bebê possui vários reflexos de defesa própria, como acontece, por exemplo, quando um cobertor ou travesseiro cai sobre seu rosto.

Instintivamente, ele balançará a cabeça e mexerá os braços par se livrar. O mesmo acontece quando algo é lançado em sua direção: ele virará a cabeça e tentará se contorcer para não ser atingido.

(Foto: Getty Images)