Bebês

Plano de parto: saiba porque você deve ter um

Aprenda a montar o documento que vai ajudá-la a escolher o tipo de parto que quer, além de informar à equipe médica sua decisão

Plano de parto: saiba porque você deve ter um

Quando estamos grávidas, começamos a planejar um monte de coisas: o enxoval do bebê, a decoração do quarto, que tipo de carrinho iremos utilizar... Mas saiba que, mais importante do que qualquer um desses itens, é decidirmos quais caminhos tomaremos a respeito do parto.

Sim, esta não deveria ser uma decisão do médico obstetra. Quando buscamos informação de qualidade e ajuda em grupos de apoio ao parto, um mundo de opções nos é apresentado e percebemos que este é um caminho que nós mesmas podemos construir.

Você pode escolher, por exemplo, por parto natural hospitalar, em casa de partos, parto domiciliar, ou tentar um parto normal com intervenções médicas e enormes chances de se transformar em uma cesárea – sabia que as taxas de cesarianas na rede particular do Brasil estão próximas de 90%? E, para que nossas decisões sejam respeitadas – ou pelo menos, conhecidas – o plano de parto torna-se fundamental.

O que é o plano de parto

Trata-se de um documento onde você deixa registrado tudo o que deseja que aconteça antes, durante e depois do parto, com você e seu bebê. Ele é estimulado pela Organização Mundial da Saúde como uma das condutas claramente úteis para o parto normal.

Lá, você descreve, por exemplo, se quer tomar analgesia no parto, afirma se não deseja episiotomia de rotina (aquele corte chato no períneo para aumentar o canal do parto e o bebê sair mais rápido) ou, ainda, diz que gostaria de ter seu bebê logo que nascer no seu colo para estabelecer o vínculo e estimular a amamentação na primeira hora de vida.

Conhecendo suas possibilidades

“Pedi que não fossem feitos procedimentos desnecessários invasivos no bebê, que o pai cortasse o cordão umbilical somente após este parar de pulsar e que o meu filho não fosse afastado de nós”, explica Michelle Amorim sobre o plano de parto para o nascimento de seu segundo filho, Leonardo, de 3 meses.

Ela, que também é mãe de Melanie, de 3 anos e meio, conta que o mais importante de ter feito o plano foi o fato de ter pesquisado e recebido informações que ela desconhecia, preparando-se melhor.

Assim como Michelle, é fundamental que toda gestante informe-se sobre o procedimento e suas possibilidades. E, nesse sentido, o plano de parto ajuda – e muito! Escrevendo o seu documento você vai descobrir, por exemplo, que existem diversas posições para se adotar durante o parto e que muitas das intervenções – feitas de rotina pela maioria dos profissionais – são desnecessárias e devem ter sua autorização para serem feitas.

Como fazer o plano de parto?

Há uma série de informações que você pode incluir. As mais importantes, indicadas por mães que adotam o plano de parto e que você pode se inspirar, são:

  • Durante o trabalho de parto: indicar quem você gostaria que estivesse ao seu lado, solicitar liberdade para caminhar e alimentar-se, pedir orientação sobre métodos não farmacológicos de alívio da dor e melhores posições, proibir intervenções sem sua autorização, como uso do hormônio sintético ocitocina (adotado para acelerar o trabalho de parto) e rompimento não espontâneo da bolsa das águas, que protege o feto.
  • Durante o parto: escolher a posição que sentir-se mais confortável para o expulsivo (o momento em que o bebê efetivamente nasce), usar anestesia apenas se você achar necessário e fizer o pedido, proibir a episiotomia, solicitar que seu bebê vá direto para seu colo (estimulando a amamentação na primeira hora). Você também pode e deve descrever procedimentos que não gostaria que fossem feitos com o bebê, como a aplicação de colírio de nitrato de prata, indicado apenas quando a mãe tem gonorreia.
  • Após o parto: solicitar alojamento conjunto e proibir que água e leite em pó sejam dados ao seu bebê, afirmar que deseja que seu filho mais velho esteja com vocês o mais rápido possível para também participar desse momento tão especial.

 

O site Amigas do Parto tem exemplos para o plano de parto que podem ajudá-la a escrever o seu. Caso você mude de ideia sobre suas escolhas durante o parto, basta avisar a equipe. É impossível prever como será o parto, por isso, diante de qualquer situação, precisamos ser informadas pelos profissionais sobre as alternativas que temos e as consequências de cada caminho.

Depois de definido seu plano, imprima algumas cópias e deixe-as com seu marido, a enfermeira do plantão, os médicos obstetra e pediatra - ou a parteira e doula.

Mas saiba que, infelizmente, não adianta apenas fazer um plano de parto. Apesar do documento e suas escolhas serem direitos seus, nem todos os médicos o seguem.

Por isso, é necessário ter ao seu lado profissionais que o leiam e respeitem e é tão importante a escolha do local e da equipe que vai acompanhá-la. E você, já pensou sobre o tipo de parto que gostaria de ter? Que tal começar a pesquisar e escrever um plano de parto?