Bebês

Como encarar a troca de fralda fora de casa

A tarefa não é das mais fáceis, mas nem por isso, impossível. Saiba como escolher o local apropriado e o que levar para não passar sufoco com o bebê

Como encarar a troca de fralda fora de casa

A troca de fraldas fora de casa pode ser um inconveniente para as mamães de primeira viagem, mas com um pouco de prática e procurando os locais certos, o momento passa a se tornar rotineiro.  

A pediatra Nádia Lucia, da Clínica Dr. Família, recomenda sempre procurar um lugar que ofereça condições de higiene e que não coloque o bebê em perigo, como em um trocador, frequentemente encontrado em banheiros. 

Caso isso não seja possível, uma boa opção é o próprio carrinho do bebê, especialmente se ele puder ser reclinado totalmente. Ou, então, o banco do carro. 

O importante é achar um lugar onde seja possível deitar o bebê confortavelmente. Além disso, o espaço deve estar limpo, com temperatura agradável e que não ofereça risco de quedas.  

Lembre-se sempre de forrar o local com um trocador portátil coberto por uma fralda de tecido. Outra dica válida é optar por um local tranquilo e que não deixe a criança muito exposta, ou seja, quanto mais privacidade, melhor para mãe/pai e bebê.

"Não é recomendável trocar a criança no meio de muita gente, para que não fique muito agitada", explica o pediatra José Paulo Ferreira, da Sociedade Brasileira de Pediatria e palestrante do Congresso Brasileiro de Pediatria.

Também é importante realizar a higiene das mãos com sabão ou álcool em gel, tanto antes quanto depois da troca, para evitar a transmissão de doenças para o bebê ou mesmo para o adulto que está realizando o procedimento. 

E na prática...

Antes, porém, de encontrar um bom lugar para fazer tudo do jeito mais adequado, é preciso se preparar para essas situações. 

Para saber a quantidade de fraldas e produtos que se deve levar para um passeio, por exemplo, é preciso calcular o tempo que vocês permanecerão fora de casa. Em média, os bebês devem ser trocados a cada 3 horas em caso de urina, ou a cada hora quando ocorre evacuação. 

Entretanto, sempre leve mais fraldas do que o programado. Se o passeio está estimado para durar meio dia, leve 6 fraldas. 

Tenha também à mão todos os acessórios a serem utilizados para que não precise tirar os olhos do bebê durante o processo de troca. Ou seja, deixe por perto lenços umedecidos ou uma garrafa térmica com água morna e algodão.

Além das (óbvias) fraldas, é bom ter um trocador impermeável, fraldinha para cobrir o trocador, pomada para proteger contra assaduras e troca de roupas, caso haja vazamentos.

"Depois de retirar a fralda suja com cuidado, enrole-a e prenda com as próprias tiras adesivas. Então coloque em um saquinho plástico bem fechado e só em seguida jogue no lixo", ensina a pediatra Fabiana Khauam Marangoni. 

Outra opção que facilita a vida das mães são as fraldas-calça – aquelas no formato de calcinha e/ou cuequinha. O modelo costuma facilitar a troca, caso a mãe não tenha muita prática ou se o bebê fica muito agitado. Se ele for maiorzinho, dispensa até o uso de trocador.

A higienização bem feita

Faça a higiene da região com lenço umedecido, água morna ou creme de limpeza com algodão, sempre em movimentos de cima para baixo, até remover completamente os resíduos. 

Depois, seque todo o excesso de umidade com uma fralda de tecido, passe a pomada contra assaduras e coloque a fralda descartável nova.

"Cuidado apenas para não apertar demais a fralda, deixando espaço para ventilação e diminuindo a incidência de cólicas", finaliza Fabiana.

(Foto: Getty Images)