Bebês

O que aprendi sobre a maternidade

Por Marina Breithaupt

Nenhuma mulher atravessa uma gestação sem sofrer transformações

O que aprendi sobre a maternidade

Sabe um furacão? A maternidade para mim chegou tal qual um furacão. Virou minha vida do avesso, mudou meus horários, meus desejos e prioridades e, com os anos, fui descobrindo muitas coisas.

A maternidade promove muitas modificações na nossa vida, transforma tudo. A cada nova fase de um filho vamos aprendendo e superando desafios. Novas lições todos os dias, sem dúvida, fazem parte dessa aventura que é ser mãe!

Modifiquei minhas prioridades. O que antes era essencial para mim acabou indo parar em segundo plano. Fui mãe aos 19 anos, quando festas e viagens faziam parte da minha vida. Precisei mudar tudo mesmo.

Essa transformação não foi fácil. Acredito que a primeira vez que a maternidade chega na vida de uma mulher, ela não é algo simples de lidar. As transformações continuam a cada filho que chega.

Passei a entender que calma e paciência são duas coisas que precisam estar presente na maternidade. Pode ser difícil, mas é extremamente importante manter a calma para não perder o foco. No dia a dia, é muito fácil ver as coisas saindo dos trilhos; portanto, aprendi a ter mais calma e mais paciência.

Depois do primeiro filho entendi o que é o amor incondicional; não há nada mais importante no mundo do que um filho. Com a chegada do segundo, aprendi que esse amor é múltiplo. Não importa quantos filhos a gente venha a ter, o coração vai esticando, esticando... esticando.

Ao mesmo tempo que o coração acolhe com amor cada filho, a culpa é um item que passou a fazer parte da minha vida. Não importa o quanto eu acerte, um único erro pode causar uma culpa enorme.

Mesmo que não seja exatamente um erro, a culpa é a sombra da maternidade. Basta ter um filho para nos culparmos por escolhas ou falta delas, por cuidados ou falta deles, por excessos ou por falta do que quer que seja. Mesmo sabendo que estou fazendo o melhor, ela está lá e aparece sem ser convidada.

Sabe aquela máxima: faça o que digo, não o que faço? Aprendi que ela é incompatível com o fato de ser mãe. Não adianta querer ensinar uma coisa e querer que eles passem a viver daquela maneira se não damos o exemplo. Ser mãe e pai é, com certeza, ser mais do que cuidadores e responsáveis; somos o espelho de seres ainda em formação.

Das lições que a maternidade me trouxe, nenhum aprendizado é mais importante do que saber que o tempo é relativo demais. Um ano de vida deles passa rápido demais, enquanto uma madrugada acordada entre mamadas e fraldas pode parecer uma eternidade.

Aprendi com isso que a vida é feita de momentos breves e simples. Curtir cada um deles é o grande segredo para eternizar o que realmente importa!

Mesmo nos dias mais difíceis e confusos, nas épocas mais atrapalhadas da criação dos filhos, tenho certeza que podemos atravessar tudo isso, podemos superar tudo!

Um beijo

(Foto: Arquivo pessoal)