Bebês

O que você deve levar em conta na segunda gravidez

Ninguém disse que seria fácil estar grávida de novo, mas também não é tão difícil assim...

O que você deve levar em conta na segunda gravidez

A experiência de estar grávida pela segunda vez está sendo maravilhosa, especialmente porque já estava preparada para tudo o que viria e tudo o que significa ter um filho: puro amor.

Mas também surgem muitas dúvidas: como devo reagir com a minha filha para que ela não fique com ciúmes? Como faço para dar o melhor para as duas?

Abaixo estão as situações que posso dizer que já experimentei estando grávida e tendo outra filha em casa, pedindo minha atenção, meu carinho e minha dedicação.

Tenho que ter muito cuidado para não alimentar o ciúme da irmã

Sim, o ciúme, aquele tema que provavelmente todos nós que temos irmãos vivemos. A filha que está na minha barriga precisa de roupas, berço, carrinho, muitas coisas... enquanto a irmã está vendo eu comprar tudo isso, sem conseguir entender direito.

Por essa razão, é muito importante que ela te acompanhe no processo e vá entendendo - pelo menos um pouco - o que está acontecendo.

Isso é o que mais me importei em fazer com a minha filha: que ela se sinta parte do processo. Por isso a levei na ultrassonografia quando nos disseram o sexo. Ela foi a mais feliz ao ver a irmãzinha na tela e ouvir o médico dizer "É menina." “Terei uma irmã!”, ela me disse, emocionada.

Não descanso!

Minha filha quer estar comigo 24/7. Chego do escritório e ela pula em cima de mim para pintarmos, desenharmos, assistirmos a um filme ou, simplesmente, estar comigo.

Óbvio que eu amo fazer tudo isso! Mas nos dias em que eu não me sinto bem ou que estou realmente exausta depois do trabalho, eu não consigo fazer isso do jeito que gostaria.

A diferença com a primeira gravidez é enorme (ao menos para mim) porque agora há alguém que precisa de mim. E eu a entendo. Por isso faço todo o possível para agradá-la.

Lembrar todos os dias que continuo sendo mãe

Obviamente, eu não me esqueci que eu ainda sou mãe, mas é claro que, às vezes, o corpo não aguenta. Nesses momentos, é mais difícil retomar as atividades do dia a dia, mas o amor é mais forte" – e, pela minha filha, faço tudo.

Organizar-se com o tempo

Como ainda falta algum tempo para minha outra filha nascer, decidi me organizar e fazer primeiro as coisas que logo serão mais difíceis. Assim, aproveito para passar o tempo junto com minha filha, indo as compras, levando-a ao médico, entre outras atividades. Isso serve também para que ela fique tranquila, sabendo que tem a mãe por perto, sempre.

E vocês, o que têm experimentado estando grávidas do segundo filho? Algo parecido ou exatamente o contrário? Gostaria de saber.

Por Javi Belmar

(Foto: Getty Images)