Carreira

A loucura de ser uma mãe que trabalha em casa

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Se a divisão entre trabalho e família já é naturalmente complicada quando você opta pelo esquema de home office, imagine o desafio durante as férias escolares!

A loucura de ser uma mãe que trabalha em casa

Há cerca de um ano e meio, eu tomei uma decisão que revolucionaria minha vida: deixei um emprego convencional, público e com estabilidade, para vivenciar a realidade do home office.

Desde então eu nunca me arrependi da opção por esse caminho - foi a forma que encontrei de continuar tendo uma renda importante para minha estrutura familiar e, ao mesmo tempo, de ficar mais perto da minha filha, que hoje tem 4 anos. 

Eu não pego mais trânsito para chegar ao emprego, não tenho chefe para me cobrar os cinco minutos de atraso ou para autorizar (ou não) minha saída fora do horário para levar minha filha doente ao pediatra.

Aliás, no ano passado, foram incontáveis as vezes em que tive que levá-la ao atendimento médico: em seu primeiro ano na escola, Catarina pegou uma virose atrás da outra (era praticamente uma semana indo às aulas, e uma dentro de casa, se recuperando de um novo resfriado). Imagino a encrenca que teria sido lidar com isso se não trabalhasse em casa...

Mas antes que você decida que não vai trabalhar amanhã e comece a redecorar sua casa para instalar um escritório, eu devo alertar: nem tudo nessa vida de mãe que trabalha em casa são flores!

Porque, ao mesmo tempo que você tem liberdade para brincar com seu filho no meio do dia, ou para ficar com ele se está doentinho, você sabe que o trabalho continua existindo (aliás, ele se acumula com uma rapidez incrível!), e que terá que ser feito em horário alternativos - nem que você tenha que ficar acordada até às 3 horas da manhã para dar conta de tudo.

Outro caos que se instala na rotina da mãe que trabalha no quentinho de sua residência se chama FÉRIAS! Porque aquelas horinhas com que você contava para dar conta do serviço, sem ser interrompida, simplesmente desaparecem.

E aí começam a acontecer situações hilárias (para não dizer dramáticas!): é o telefonema de um cliente interrompido pelo choro do bebê, sua mesa lotada de papéis e de brinquedos, a "conference call" via Skype em que seu filho coloca aquela carinha linda atrás de você e começa a mostrar a língua para quem está do lado de lá da tela! Resumindo: rir para não chorar!

Enfim, ser uma mãe que trabalha em casa é um desafio diário de flexibilidade e destreza. É aprender a ter produtividade nos raros momentos em que a casa silencia. E, sobretudo, é desejar que as férias escolares passem bem rapidinho, para que um pouco de tranquilidade volte a reinar!

(Foto: Getty Images)