Datas Especiais

Mas, afinal, o que é folclore?

Leve as crianças para conhecer mais sobre os personagens e costumes tradicionais da nossa história nos museus sobre a cultura popular brasileira

Mas, afinal, o que é folclore?

No mês de agosto (dia 22) é comemorado o Dia do Folclore. A data, muito importante no calendário escolar, foi oficializada em 1965 para valorizar as histórias e personagens do folclore brasileiro. 

É o momento de contarmos e ouvirmos as histórias do Saci-Pererê, Mula-sem-cabeça, Curupira, Boto e Boitatá. É também a ocasião em que são valorizadas e praticadas as danças, brincadeiras e festas folclóricas nacionais.

Mas, afinal, o que é folclore? 

“Folclore é o conjunto de tradições e manifestações populares constituído por lendas, mitos, provérbios, danças, comidas e costumes, que são passados de geração em geração”, explica Frederico Cesarino, mestre em Sociologia e pesquisador da Universidade Federal do Amazonas.

Segundo o especialista, o folclore não é um conhecimento estático. “Ele possui seu dinamismo e se reinventa de acordo com as gerações, mas geralmente mantém a sua base, os seus conceitos, suas tradições originais. O conhecimento basicamente é o mesmo; a interpretação desses conhecimentos é que sofre mutações periódicas”, diz.

De olho no público mais jovem, museus destinados ao folclore e à cultura nacional estão apostando em exposições interativas, vídeos e oficinas que atraiam a atenção das crianças e adolescentes.

Para Frederico, o avanço da tecnologia influencia a cultura local, mas não interfere na identidade de um povo. “Preservar o folclore por meio de registros – livros, filmes – dos costumes também é válido, mas a transmissão popular é sempre a melhor maneira”, avalia.

Ele salienta a importância do ensino de cultura popular nas escolas. “É uma forma divertida de se transmitir aos estudantes os ensinamentos da história da sociedade da qual o indivíduo faz parte. De todo modo, cada lenda possui seu fundo educativo. As histórias populares sempre possuem a sua ‘moral’ ou o seu ensinamento, seja para assustar ou para fazer rir”, observa.

Confira algumas opções de museus que retratam o folclore brasileiro e agende seu próximo passeio.

Museu de Folclore Edison Carneiro

O museu (foto acima) foi criado em 1968 para reunir obras que representem as diferentes expressões culturais brasileiras. O acervo conta com mais de 14 mil objetos de vários autores, como esculturas que representam cenas do cotidiano, festas, profissões e ritos de passagem, além de instrumentos musicais, indumentárias de festas religiosas e profanas e equipamentos de tecnologias tradicionais, como teares, alambiques, fornos e tachos. O museu faz parte do Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular, que reúne ainda a Galeria Mestre Vitalino e a Sala do Artista Popular, promotores de exposições, palestras, seminários e oficinas.

Endereço: Rua do Catete, 179 e 181, Catete – Rio de Janeiro (RJ)
Telefone: (21) 2285-2545 e 2285-0891
Funciona de terça a sexta-feira, das 11 às 18 horas, e aos sábados, domingos e feriados, das 15 às 18 horas. A entrada é gratuita. Para fazer uso do guia é cobrada uma taxa de manutenção de R$ 5* (R$ 2,50* para estudantes e idosos acima de 65 anos)

Museu do Folclore de São José dos Campos

Museu São José dos Campos

Instalado em uma antiga hospedaria, abriga um vasto acervo de livros, vídeos, esculturas e pinturas sobre as manifestações populares nacionais. Neste ano, o espaço preparou uma programação especial para o Mês do Folclore, destinada a alunos de escolas de educação infantil e ensino fundamental, entre 26 de agosto e 5 de setembro. O tema escolhido enfatiza a cultura da mandioca como parte da agricultura popular. A programação inclui atividades teóricas e práticas relacionadas ao alimento, como contação de lenda, simulação de plantio, discussão sobre culinária, degustação do produto, produção e comercialização de farinha.

Endereço: Av. Olivo Gomes s/n, Parque da Cidade Roberto Burle Marx, Santana - São José dos Campos (SP)
Telefone: (12) 3924-7318
Funciona de terça a sexta-feira, das 9 às 12 horas e das 14 às 17 horas. Aos sábados e domingos o museu abre das 14 às 17 horas. A entrada é gratuita.

Museu de História e Folclore "Maria Olímpia" 

Museu de História e Folclore "Maria Olímpia"

Considerado um dos mais completos do Brasil, possui um acervo de cerca de 3 mil peças. São exemplares de vestuário de festas tradicionais, esculturas em barro, bambu, madeira e couro e instrumentos musicais. A mais antiga e valiosa das peças – e que deve se tornar a preferida das crianças - fica na área externa do museu. Trata-se de uma locomotiva maria-fumaça que, entre 1940 e 1950, fez o elo entre Olímpia e o resto do Brasil. Durante o mês de agosto o espaço recebe a 50ª edição do Festival do Folclore. Treze estados serão homenageados com obras que representem sua cultura local.

Endereço: Rua David Oliveira, 420 - Olímpia (SP)
Telefone: (17) 3281-6786
As visitas acontecem de terça a sábado, das 12 às 18 horas. A entrada é gratuita.

Museu da Gente Sergipana

Museu da Gente Sergipana

Considerado um dos museus mais bem estruturados do Brasil, é também o único espaço de exposições interativas do Nordeste. O objetivo é divulgar a cultura popular sergipana através de um acervo que mescla esculturas e pinturas com projeções e jogos eletrônicos. Lá, o visitante pode conhecer mais sobre a origem das principais festas típicas do Estado, as expressões populares, culinária e histórias que fazem parte da cultura local. A parte do passeio que mais agrada aos pequenos é o espaço destinado aos cordéis e repentes. Em meio a centenas de livretinhos coloridos de cordel, o visitante tem a oportunidade de, em frente a uma tela e a um microfone, "declamar" o que aparecerá para ser lido. Ao final, é possível assistir ao vídeo da declamação e, se a pessoa desejar, a gravação é enviada diretamente para o canal do museu no Youtube.

Endereço: Av. Ivo do Prado, 398, Centro – Aracaju (SE)
Telefone: (79) 3218-1551
As visitas ocorrem de terça a sexta-feira, das 10 às 17 horas, e aos sábados, domingos e feriados, das 10 às 16 horas. O ingresso é gratuito a todos os visitantes.

CTM/ Museu do Folclore

Inaugurado em Montes Claros, o Centro de Tradições Mineiras – CTM/ Museu do Folclore é uma extensão da Faculdade de Educação Artística da Unimontes. O espaço abriga obras de arte de grandes artesãos, artistas plásticos e escritores da região. O acervo mantém louças antigas, instrumentos de trabalho e esculturas em madeira que contam a história do folclore mineiro.

Endereço: Rua Camilo Prates, 137, Centro - Montes Claros (MG)
Telefone: (38) 3221-1178
O museu funciona de segunda a sexta-feira, das 12 às 18 horas. A entrada é gratuita.

Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore

Museu Théo Brandão de Antropologia e Folclore

Foi criado para abrigar a coleção de arte popular que o professor e folclorista Théo Brandão doou à Universidade Federal de Alagoas. O museu possui acervo com mais de 3 mil peças, incluindo objetos da cultura de Norte a Sul do Brasil e países como México, Espanha e Portugal. O destaque fica para as peças nordestinas, como moringas, brinquedos populares e cerâmicas. Além do acervo estático, o museu possui uma loja de artesanato, além de um café com quitutes da culinária alagoana.

Endereço: Av. da Paz, 1490, Centro - Maceió (AL)
Telefone (82) 3214-1711
O espaço está aberto para visitação de segunda a sexta-feira, das 8 às 12 horas e das 14 às 17 horas. A entrada é gratuita.

Museu do Folclore de Penápolis

O museu expõe uma coleção de objetos que expressam a cultura espontânea da região e conta com mais de 12 mil peças, entre objetos, livros, revistas, apostilas, boletins, relatórios de pesquisa de campo, álbuns de recortes, quadros, fitas gravadas, discos, fotos, slides, filmes e selos. As peças estão distribuídas por tema: Folguedos, Festas, Danças e instrumentos musicais, Cerâmicas, Trançados com linha, Utensílios domésticos, Entalhes, Artesanato com materiais diversificados, Linguagem e Literatura. Vale a pena conferir o acervo de brinquedos antigos e de peças que representam as principais lendas nacionais.

Endereço: Praça 9 de Julho, 150 – Penápolis (SP)
Telefone: (18) 3652-1747
As visitas acontecem de terça a sábado, das 11 às 18 horas. A entrada é gratuita.

Museu de Cultura Popular Djalma Maranhão

Museu de Cultura Popular Djalma Maranhão

O acervo do museu traz à tona importantes aspectos do folclore potiguar, com obras de todo o Estado. O espaço foi inaugurado em 2008, utilizando as instalações da antiga rodoviária da cidade. No local foram reunidas mais de 1,5 mil obras de arte, de aproximadamente 400 artistas, desde fotografias, esculturas, pinturas e vestimentas. O museu também conta com acervo multimídia. Minidocumentários que retratam a vida dos artistas locais e as lendas regionais são exibidos nos telões. Não deixe de visitar o módulo do acervo que se chama “O Mundo Encantado dos Folguedos e das Danças Tradicionais do RN”. Lá, é possível conhecer mais sobre o folclore regional.

Endereço: Praça Augusto Severo, s/n, Antiga Rodoviária – Natal (RN)
Telefone: (84) 3232-8149

O museu funciona de segunda a sexta, das 8 às 16 horas. A entrada é gratuita.

Museu do Folclore Saul Martins

Pertencente à Casa da Cultura de Vespasiano, é considerado um dos cinco melhores de cultura popular do Brasil. O museu abriga peças de mestres da arte popular, como os escultores Valentim Rosa e Artur Pereira. Outro trunfo do lugar é a grande coleção de cerâmicas do Vale do Jequitinhonha e de colheres de pau, máscaras e brinquedos. Oficinas e palestras sobre temas folclóricos são oferecidas aos visitantes.

Endereço: Rua Francisco Lima, 12, Centro - Vespasiano (MG)
Telefone: (31) 3621-3268.
Os visitantes podem conferir o acervo de terça a sábado, das 13 às 18 horas. Entrada gratuita.

(Fotos: Divulgação)

* Valores pesquisados em agosto/2014.