Comportamento

6 coisas que pedimos aos filhos não fazerem, mas nós fazemos

Por Patrícia Cerqueira
@Comida Boa Muda Tudo

Será que estou sozinha na prática do "faça o que digo e não faça o que eu faço"?

6 coisas que pedimos aos filhos não fazerem, mas nós fazemos

Mãe e pai ditam regras para os filhos o tempo todo. Mandam e desmandam. Determinam o que a criança pode e o que ela não pode fazer. Nenhum problema nisso. Aliás, é o que se espera dos responsáveis pela educação dos filhos.

Entendo essas regras como uma espécie de bússola para que os pequenos trilhem com mais segurança, pelo menos na primeira infância, os caminhos corretos. 

Só que, às vezes, pedimos aos filhos para não fazerem determinadas coisas, mas acabamos fazendo. Dessa forma, enviamos uma mensagem dúbia para as crianças sobre seguir as regras.

Andei fazendo uma autoanálise e descobri que...

... adoro comer queijo parmesão ralado com as mãos, apesar de dizer repetidas vezes para o Miguel que é errado, nojento e anti-higiênico. Já me peguei comendo o queijo escondida, em silêncio, na cozinha;

... não é para usar a mesma colher que vai à boca nas panelas porque é anti-higiênico, mas eu adoro usar a mesma colher que comi o pudim de leite condensado para pegar mais um pedaço na travessa;

... não pode comer doce antes das refeições porque estraga o apetite, só que não posso ver uma bala dando sopa que sou capaz de comer algumas, inclusive, minutos antes de servir a refeição;

... arrotar à mesa é falta de educação, mas, vez ou outra, adoro surpreender meus meninos com meus arrotos bem masculinos;

... soltar pum à mesa é o máximo da falta de educação, mas atire a primeira pedra quem nunca, durante alguma refeição, ergueu levemente um lado do quadril enquanto está sentada à mesa, porque dessa forma fica mais fácil de o gás metano ser liberado?

... não pode falar de boca cheia, mas qual mãe já não soltou alguma bronca assim que colocou uma garfada na boca?

Falar uma coisa e fazer outra mostra à criança que a palavra da mãe não vale nada? Talvez sim. Mas também mostramos aos nossos filhos que, em determinados momentos, as regras até podem ser burladas, desde que ninguém seja prejudicado.

Também mostramos que as mães são falíveis e que essa contradição faz parte do ser humano. 

O melhor, no entanto, é tentar manter sempre a coerência.

E você, o que diz aos seus filhos para não fazer, mas acaba fazendo, mesmo que escondida na cozinha?

Beijos,
Patricia

(Foto: Arquivo pessoal)