Comportamento

Ansiedade é, afinal, coisa só de adulto?

Por Helena e Joana Cardoso

Se uma criança está com sintomas de ansiedade, isso pode ser o reflexo do que ela está vivendo e presenciando em casa

Ansiedade é, afinal, coisa só de adulto?

A ansiedade por si só não é uma doença. O que a torna patológica é o seu excesso, quando ela começa a interferir e prejudicar a vida da pessoa. Ela é, inclusive, uma das principais queixas nas visitas aos consultórios médicos.

Mas será que a ansiedade é exclusiva do universo adulto?

Não! Crianças também podem desenvolver transtornos de ansiedade de forma semelhante a nós. Elas são como esponjas, que absorvem o que se passa em seu entorno. 

Quando uma criança recebe esse diagnóstico, é provável que ela esteja denunciando algo que não vai bem ao seu redor.

Se alguma criança está com sintomas desse tipo, pode ser o reflexo do que ela está vivendo e presenciando em casa.

Uma crise conjugal, por exemplo, mesmo que não dita, pode ser sentida por ela, que expressa sua dificuldade de lidar com a situação através do sintoma.

Proporcionar um ambiente equilibrado, leve e acolhedor é uma forma de melhorar o problema.

Os filhos tendem a espelhar o seu bem-estar de acordo com a estabilidade a sua volta. Se seus pais estão bem, ele se sente seguro e vice-versa.

Sendo assim, a maior preocupação que os pais devem ter em relação a ansiedade infantil, é cuidar de si e do equilíbrio familiar.

Nem sempre tudo vai acontecer como todos gostariam, mas se a criança sentir que não é ela a responsável por provocar essas situações, nem mesmo por resolver, vai poder ser criança. É só disso que elas precisam.

Por Joana Cardoso

(Imagem: Rafiq Sarlie/ Flickr | Creative Commons)