Comportamento

Cada um para um lado...

Por Marina Breithaupt

Algumas relações podem não durar para sempre, casamentos e amizades, por exemplo. Outras são elos eternos, caso dos filhos

Cada um para um lado...

Recentemente vi uma onda de separações no nosso círculo de amizades. Sei que toda união e relacionamento estão sujeitos a um rompimento e não há nada de errado nisso. Diferenças de interesses, desgaste na relação ou simplesmente quando o amor acaba. São muitos os fatores que podem levar ao fim de um relacionamento.

Todos esses casais que optaram por seguir caminhos diferentes têm filhos e confesso que a cada notícia de término meu coração só pensava nessas crianças.

Como não é minha realidade (espero que não seja, mas sei que não dá para dizer nunca), a gente fica triste por eles. No entanto, me peguei pensando em como cada um conduziria esse novo barco. É impossível não envolver as crianças, pois elas fazem parte de tudo isso.

Já vi casais terminarem brigados e usarem as crianças no fogo cruzado e o resultado, invariavelmente, é devastador para todos os envolvidos.

Não sei se estamos começando a lidar melhor com essa situação, mas vejo muita preocupação dos nossos amigos que estão vivendo isso em deixar a vida das crianças o mais parecida possível diante da nova realidade.

Não avançamos nos capítulos dessas histórias ainda, é tudo muito novo, porém noto os dois lados preocupados em serem apoios e em explicar que casamentos, namoros e amizades podem se acabar, mas o respeito entre as duas pessoas nunca deixará de existir.

Acolher as crianças que sofrerão várias mudanças, entender que o comportamento delas mudará - é assim que as crianças se manifestam diante das novidades inesperadas na rotina - é papel dos pais, estejam eles em uma relação ou não e é essa preocupação que vejo nos nossos amigos. No entanto, sei que, infelizmente, nem sempre é assim.

Com o tempo e a maturidade dos pais sei que as coisas se encaixam e já vi casos maravilhosos de relacionamentos pós separação.

É um assunto delicado e que só pertence a minha vida como mera espectadora por hora, mas como tenho visto isso acontecer ao meu redor não consigo não pensar sobre isso.

Se você já viveu um rompimento e tem filhos desse relacionamento, conta aí para gente quais são as suas dicas para atravessar esse período sem (tantas) perdas para as crianças. Vamos adorar ouvir suas experiências e, assim, ajudar outras famílias.

Um beijo,

(Imagem: Shutterstock.com)