Comportamento

Carta a uma amiga sem filhos

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Toda mulher tem o direito de escolher se deseja ou não ter filhos. E se você decidir que não deixará descendentes, que seja muito feliz! Mas não deixe de ser mãe por ter medo de viver a maior aventura da face da Terra!

Carta a uma amiga sem filhos

Querida amiga,

Recentemente ouvi você dizer que não desejava ter filhos. E se esse é o seu desejo mais íntimo, eu sou a primeira a apoiá-la, porque sei o quanto é difícil manter essa decisão frente a uma sociedade que nos cobra a maternidade.

Se você chegou à conclusão de que não cabe uma criança em sua vida, que você já é feliz por si só, com sua carreira, com sua liberdade, eu a admiro. E torço para que você esteja fazendo a escolha certa - porque sim, eu acredito que, para algumas mulheres, é exatamente isso o que deve ser feito.

Mas antes que seja tarde, que seu relógio biológico diga que você não tem mais a opção de ser mãe, eu preciso lhe fazer um alerta - porque, como amiga, é esse o meu dever. Não quero que você deixe essa experiência maravilhosa de lado por medo - o sentimento que vejo estampado no rosto de muitas mulheres, quando pensam sobre a maternidade. 

Não tenha medo de não ter mais uma vida própria, pois ela, a vida, é e sempre será sua. E embora os primeiros meses, ou melhor, anos após a chegada de um filho sejam exaustivos, eles passam.

No início você não terá muito tempo para si mesma, é verdade. Você desejará, por vezes, sumir do planeta por alguns dias, só para respirar um pouco. Mas aos poucos a rotina vai voltando ao normal - você terá tempo para ler um bom livro, para sair com uma amiga, e até mesmo viajar com o marido.

Não tenha medo das mudanças em seu corpo. Elas virão, inevitavelmente, porque é normal que a passagem de um outro ser por ele, durante nove meses, deixe suas marcas. Por outro lado, pense bem: seu corpo será o mesmo em 30 anos? E em 50? O próprio tempo se encarregará de modificá-lo, você querendo ou não.

Não tenha medo de perder sua liberdade. Porque quando um filho nasce, você descobre que liberdade é estar ao lado de quem se ama, por livre e espontânea vontade. E digo por experiência própria: não tenho medo de deixar de ser livre, mas me dói o coração quando penso no dia em que já não serei a companhia favorita de minha filha.

Por fim, não tenha medo de perder sua identidade. Porque a maternidade não obscurece uma mulher, só ilumina! E sendo mãe talvez você descubra uma força em seu interior que antes não poderia ser imaginada. Você muda, sim, só que para muito melhor!

 

(Foto: Nyuhuhuu/Creative Commons)

comentarios mãe, filhos, maternidade