Comportamento

Criança não tem código de barra!

Por Marina Breithaupt

Já parou para pensar que estamos sempre em busca de uma categoria para encaixar as fases e a personalidade dos nossos filhos?

Criança não tem código de barra!

Agitado, arteiro, levado, hiperativo, birrento, briguento... Esse menino tem energia demais! É o legado dos dois anos.

Para mim sempre foi natural, tendo uma menina mais velha, depositar todos os créditos por tantas artes e agitações no fato de meu filho ser um menino ativo atravessando as várias fases - rotuladas - da infância.

Realmente nunca vi problema e vinha tentando sempre encaixar meus filhos nesses padrões.

O tempo foi passando e me mostrando que o antes agitado, bravo, arteiro foi dando lugar a um menino muito mais calmo do que eu enxergava. Um menino que não gosta de ficar sozinho, sensível ao nossos posicionamentos e muito observador.

Claro, ele é uma criança de 6 anos, como tantas outras, mas eu sempre o encaixei no perfil dos meninos levados. Com o tempo, no entanto, pude observar que, assim como nós, ele não era 100% aquilo que eu acreditava.

Ninguém é totalmente uma coisa só. Por isso rotular as crianças e encaixá-las em fases de desenvolvimentos preestabelecidas (como os Terrible Two, por exemplo) é uma grande cilada da criação de filhos.

A gente acaba proporcionando menos experiências, se priva de algumas vivências por acreditar que temos um filho assim ou assado.

Precisamos tirar o foco de tentar defini-los e proporcionar oportunidades para que eles nos mostrem quem são e como se comportam em diferentes situações.

Quantas e quantas vezes tive medo de sair sozinha com meu filho por imaginar que fosse dar muito trabalho e na realidade ele sempre se comportou muito bem em público, no geral, melhor do que nossas meninas. Quase não tivemos cenas de birras, de choro com ele em passeios.

O que quero dizer aqui é que eu percebi que não tenho o direito de encaixá-lo em nenhum perfil, ele é único como toda criança!

As fases podem variar e um crise típica dos dois anos pode acontecer muito antes e não passar assim que a criança faz 3! Aliás, toda fase dos nossos filhos virá acompanhada de desafios e delícias. Eles sempre estarão experimentando novas possibilidades, vivendo o novo. Não é fácil para eles também.

Então, tenho voltado meus olhos, cada vez mais, para os seres únicos que meus filhos são e aprendendo a todo momento a não rotulá-los. O melhor é observar e ajudar para que eles possam ir descobrindo quem são.

Um beijo,

(Imagem: shutterstock.com)