Comportamento

Criança precisa de movimento!

Por Patrícia Cerqueira
@Comida Boa Muda Tudo

Precisa, não! Necessita se movimentar porque é algo que lhe dá muito prazer

Criança precisa de movimento!

Quem tem o privilégio de viver com uma criança, desde o seu nascimento, sabe que elas são puro movimento. Aliás, quando ainda estão na barriga, já se movimentam muito.

Só param quando dormem, e olhe lá. Quando bebês, os meninos não pararam nem quando dormiam. Era muito comum, eu colocá-los no berço de um jeito e eles acordarem de outro, totalmente inverso. Acho que pararam de "rodar" no colchão enquanto dormiam depois dos 7 anos, mas não tenho muita certeza. Miguel, às vezes, "zanza" pela cama.

Mas não é do movimento durante o sono que eu quero falar. É da movimentação de quando elas estão acordadas. Um das frases mais comuns de se ouvir dos adultos é: "Essa criança não para!"

Às vezes, em tom de humor. Outras como crítica, lamento e desabafo.

Deixa eu contar uma coisa que descobri lendo o texto "Três Ensaios sobre a Teoria da Sexualidade", escrito e reescrito diversas vezes por Freud, o médico fundador da psicanálise durante as duas primeiras décadas do século 20: movimentar o corpo provoca um imenso prazer na criança.

Não é um prazer tolo. A movimentação corporal traz um sensação prazerosa tão boa quanto fazer xixi, por exemplo. A movimentação corporal produz uma excitação sexual na criança.

É importante lembrar e frisar que, para Freud, sexual é uma energia pulsional contínua que tem como objetivo o prazer. Sexual para Freud não se refere ao ato sexual em si. Até porque as crianças pequenas não estão "equipadas" psiquicamente para o ato sexual, para a procriação.

Escreveu Freud nos Três Ensaios: "A existência das sensações prazerosas assim geradas pela agitação mecânica e ritmada do corpo é confirmada pelo fato de as crianças gostarem tanto das brincadeiras de movimento passivo, como serem balançadas ou jogadas para o alto, e de pedirem incessantemente que sejam repetidas".

E essa necessidade e esse prazer são importantes na construção de um sujeito autônomo e equilibrado emocionalmente.

Portanto, permitir que a criança se movimente das mais variadas formas, além de gastar energia, colabora para que ela seja equilibrada, inclusive quando for adulta.

Por uma vida infantil com mais movimento!

Beijos,
Patrícia

(Foto: Getty Images)