Comportamento

Não seja a "mala" da viagem!

Viajar com outra pessoa ou um grupo requer bom relacionamento. E você não quer ser a chata do passeio, certo?

Não seja a "mala" da viagem!

Dias de folga são sempre uma delícia. É legal conhecer um novo destino, principalmente se estiver acompanhada de quem a gente gosta. Porém, viajar acompanhada nem sempre é fácil. Mesmo quem não curte passear sozinha acaba encontrando alguns probleminhas durante as férias com mais de uma pessoa.

Afinal, tem sempre alguém que acaba se tornando a "mala" da viagem: não gosta de nada, nem da comida, nem do lugar; não concorda com as decisões; fica de cara emburrada se o passeio não é o que queria; acha o lugar "muito quente", acha o lugar "muito frio"; fica cansada facilmente e assim por diante.

Ninguém merece conviver com alguém empatando dias que deveriam ser de pura curtição, não é? Então, não seja essa pessoa.

Para te ajudar, conversamos com mulheres que adoram viajar - seja em casal, com amigos, família... Elas dão dicas valiosas para que você não seja aquela que será lembrada como a chata das férias. Aproveite cada momento e faça com que os outros se sintam à vontade na sua companhia. 

Diálogo é muito importante

Pode parecer clichê, mas a boa e velha conversa antes da viagem pode evitar muitas brigas e caras de mau humor. A estudante Gabriella Duarte, 21 anos, viaja bastante com o namorado e amigos e acha que o diálogo é a parte mais importante, principalmente durante o planejamento. "Sempre que algo te incomodar, a melhor coisa é ser franca e buscar uma solução que agrade, se não a todos, pelo menos a maioria", afirma.

Jogo de cintura

Além de ser "boa de conversa", também seja mais aberta a mudanças. O tal jogo de cintura nunca falha. "Às vezes, para a viagem ser mais agradável, devemos abrir mão de certas coisas para evitar brigas ou um climão. De vez em quando, uma mudançazinha no roteiro que você não queria antes faz com que descubra lugares e pessoas incríveis. O ideal é que haja equilíbrio sempre", pondera Gabriella.

Pense no coletivo

Ainda na linha de pensamento de que a conversa é a melhor amiga de uma viagem com mais de uma pessoa, junte a turma, planeje o roteiro e pense sempre no próximo. Assim, muita intriga e muita chateação são evitadas.

"É preciso sempre saber equilibrar os gostos, horários, ritmos e prioridades de cada um. Além disso, faça reuniões antes da viagem em um bar, em um jantar em casa, de um jeito despojado. Durante o papo, cada um traz suas ideias e preferências e tudo é organizado de acordo com o gosto da maioria", dá a dica a diretora de arte Carla Baldini, de 28 anos, que sempre faz viagens longas com amigos.

Vocês não nasceram grudados

É isso mesmo! Mesmo que o combinado seja viajar em grupo, nem sempre as pessoas concordam no dia a dia em relação aos passeios a serem feitos. Os horários, também, muitas vezes não batem: há os que dormem até mais tarde e aproveitam a noite, tem os que madrugam para aproveitar o dia e vão para cama cedo. Então, por que não tirar uma "folguinha" um do outro?!

A servidora pública Adriana Magalhães, 43 anos, fez isso durante uma visita a Londres com o marido e os dois filhos. "Estava a fim de fazer o tour do rock e ele queria conhecer a meca do tênis. Decidimos que o melhor seria cada um ir para o seu canto e depois nos reencontrarmos no meio do caminho. Todos saem ganhando e ninguém se estressa. Ninguém é obrigado a mudar seus hábitos só por causa dos companheiros de viagens", diz.

Avalie os problemas na hora

Mesmo com todos os cuidados, as desavenças acabam ocorrendo de vez em quando. A dica da designer Mariana D´Angelo, 27 anos, é verificar se realmente vale a pena discutir e resolver o problema na hora que acontecer ou se é melhor deixar para depois da viagem.

"Se for algo que vá prejudicar o andamento da viagem, o melhor é resolver na hora. As contas, por exemplo, eu prefiro deixar para quando voltar para casa. Anoto tudo e faço a divisão depois", conta.

Estude!

Parece óbvio, mas a dica da vez é: estude bem o local para onde você vai viajar. Afinal, ninguém merece passar dias com alguém que não faz nem ideia de onde está e que tipo de cultura está vivenciando.

"Acho chato quando a pessoa não pesquisa nada sobre o local e fica dando gafes ou nem sabe quais línguas são faladas ou moedas usadas nos destinos da viagem", aponta a publicitária Evili Borges, 27 anos.

Essa é mesmo sua turma?

Mesmo você sabendo que não é uma "mala sem alça" no dia a dia, há algumas situações em que é quase impossível ficar numa boa e aceitar tudo. E em muitas delas é fácil identificar o motivo do desconforto. Ao decidir fazer uma viagem em grupo, avalie se as pessoas realmente fazem parte do seu círculo próximo de amizade, se têm os meus gostos que você e se querem fazer o mesmo tipo de viagem.

"Se você quer aventura e seu amigo, conforto, seus objetivos não estão batendo", ilustra a publicitária Evili, que vira e mexe viaja com o namorado e grupos de, no máximo, quatro pessoas.

(Foto: Getty Images)