Comportamento

O que aprendi com as Princesas Disney

Os filmes foram uma grande companhia, tanto na minha infância como na minha vida adulta. Demorei para descobrir que, muito do que sou hoje, vem de algumas dessas personagens

O que aprendi com as Princesas Disney

Sou fanática por filmes animados desde sempre e tenho ido só a estreias de filmes "para crianças" depois que virei mãe - não preciso mais dar explicações sobre esse hábito. Cada um de meus filhos tem seus livros de bebê baseados na estreia da Disney do ano de seu nascimento.

Minhas filhas amam as princesas. Sempre admirei as fortalezas dessas mulheres e tentei transmitir esses mesmos valores às minhas filhas, que hoje, mesmo grandes, continuam viciadas nas princesas tanto quanto eu.

As princesas refletem os valores que, nós, mulheres temos, como Merida, em Valente. Ela defende seu direito de escolher como quer viver sem que os outros decidam pelo seu futuro e se empenha em ser forte e ter coragem – como se esperaria de qualquer filho homem, sem deixar de ser uma mulher bonita de cabelos radiantes.

Com Ariel aprendi que é bom se arriscar, mesmo que nossos pais queiram cuidar da gente e tentem deter nossos sonhos. Ela me ensinou que defender o que queremos ser é o primeiro passo para conseguirmos

Já com Pocahontas entendi sobre a importância do amor pela terra e pela natureza e sobre o respeito em relação ao lugar em que vivemos e onde nossos ancestrais plantaram suas raízes. Ela me mostrou que o amor tem uma forma de manifestar-se que vai muito além dos idiomas ou das raças.

Algumas das coisas mais importantes da minha vida aprendi com Branca de Neve, Bela Adormecida e Cinderela, que acompanharam meus anos de formação de caráter.

Com elas descobri que as pessoas que são diferentes de nós não necessariamente são más; que confiar cegamente nos outros, às vezes, não é bom; e que, mesmo que o que estamos vivendo se pareça bastante ruim, tudo sempre pode mudar se formos boas pessoas e mantermos a esperança viva.

Bela me ensinou a não discriminar quem é diferente. Jasmine e Rapunzel, que as pessoas que escolhem um caminho errado podem ir por outro se tiverem uma boa companhia.

Talvez pareça besteira comparar ensinamentos e valores através de filmes. Mas isso serviu para que minhas filhas pudessem analisar essas e outras situações, em que as decisões de uma pessoa ajudam ou prejudicam outras.

As Princesas Disney significaram tanto na minha vida a tal ponto de, ao final de cada dia, antes de apagar as luzes, vejo meus filhos em suas camas dormindo e penso na Bela Adormecida (mesmo que eles durmam apenas oito horas).

Por Gabriela Tomassoni

(Imagem: Acervo Disney)