Comportamento

O sofrimento da mãe na volta ao trabalho

Por Jorge Freire Jr.

Como é duro ver a mulher que você ama voltar ao trabalho depois da licença-maternidade. Quando o home office será largamente aceito pelas empresas?

O sofrimento da mãe na volta ao trabalho

A Fá voltou ao trabalho depois de 5 meses de licença-maternidade. Lembro quando isso ocorreu com o Padawan e foi bem tranquilo, até porque ele ia com a Fá para a escolinha e passavam um certo tempo dentro do carro, cantando e brincando.

Agora, as coisas mudaram.

A nossa filha fica em casa e a Fá vai sozinha para o trabalho. Ver o sofrimento dela com essa separação está me deixando com o coração na mão.

É muito fácil falar que essa separação é importante, tanto para a mãe como para os filhos, pois é nesse momento que o cordão umbilical começa a ser cortado e a autonomia e a dependência para a criança são importantes para seu desenvolvimento.

Olha, isso tudo pode ser verdade, mas ver a tristeza do adeus nos olhos da Fá acaba com o meu dia! E ao imaginar como deve ser o dia dela, então, me dá vontade de chorar.

Eu sei que essa é a realidade de milhares de brasileiras e espero que, no futuro, a prática de home office seja difundida pelas empresas.

Hoje já temos tecnologia para que possamos trabalhar em qualquer lugar. Só falta mudar a cultura dos empregadores.

Acredito que, assim, amenize o sentimento do adeus que aflige as mães.

(Foto: Arquivo pessoal)