Comportamento

As princesas e nossas filhas: o que elas têm em comum?

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

As princesas não são mais as mesmas! Pudera, afinal nossas filhas também não são iguais às gerações anteriores!

As princesas e nossas filhas: o que elas têm em comum?

Quando minha filha de 6 anos diz que adora as Princesas da Disney eu sei exatamente o que ela quer dizer. Eu também já fui criança, já me encantei com esse reino mágico - e para dizer a verdade, fico cada vez mais encantada!

Sei também que quando minha pequena fala isso, o que ela sente em seu coração é algo bem diferente do que eu sentia com a sua idade. Porque, afinal, as princesas atuais representam outra geração de mulheres, muito mais ativas e fortes.

Talvez se Elsa tivesse sido criada há algumas décadas, não teria feito o sucesso estrondoso que fez na atualidade.

Aliás, muita gente de mais idade já me perguntou se ela era a vilã ou a mocinha da história. Isso porque antigamente as personagens não eram tão complexas - ou eram totalmente boas ou más. A Rainha de Arendelle, no entanto, veio para nos mostrar que é possível ser frágil, ter medo, se superar e se libertar, para ser tudo aquilo que uma menina deseja!

E sua irmã Anna: quer exemplo mais bonito das princesas atuais? Ela é corajosa, amiga, destemida e tem um coração enorme! Ah, e claro: ela não precisou de um príncipe encantado para salvá-la (ela mesma salvou seu reino e criou o final feliz mais emocionante dos últimos tempos)!

Quando olho para minha filha, vejo a curiosidade pulsante de Rapunzel, a valentia de Merida, o otimismo de Anna, a simpatia da pequena Sofia e muito mais. Vejo uma garotinha pronta para tomar as rédeas de sua vida nas mãos, quando crescer mais um pouquinho. Como qualquer princesa da sua geração faria.

(Imagem: Divulgação Disney)

comentarios Princesas, meninas, filhas