Comportamento

Sai daqui, mamãe!

Por Samantha Shiraishi
@maecomfilhos

Cada vez que minha filha me rejeita, que grita impulsivamente, que empurra as coisas que não quer, quem se segura muito para não sentir raiva sou eu

Sai daqui, mamãe!

“Sai daqui, mamãe! Eu não quero nenhum!”

Essas frases duras fazem parte do repertório diário da minha pequena desde que entramos no “Terrible Two”, a triste idade da birra, das vontades, da teimosia. 

Não fosse a expressão, que vem com uma cara de poucos amigos, tão constante quanto o “Eu te amo, Mamãe”, “Ah, eu adolo” e outras reações de emoções puras e brutas, eu já estaria muito magoada. 

Mas cada vez que Manu nos rejeita, que grita impulsivamente, que empurra as pessoas ou as coisas que não quer, quem se segura muito para não sentir raiva sou eu. 

Nesses momentos, respiro fundo, fico em silêncio e lembro que, quando os meus meninos eram desta idade, eu aprendi com especialistas em comportamento que até os 3 ou 4 anos a criança não sabe interpretar os sentimentos. Ela sente, reage e pronto.

Assim, como uma força bruta, sem qualquer lapidação que a mente consciente dá depois para a maioria das pessoas e que nos faz capazes de conviver em sociedade. São os adultos que cuidam do filho, que têm o papel de ensiná-lo a entender o que é se sentir triste, feliz, com medo, com raiva, desgosto.

Por isso também a criança tem sentimentos tão puros, de alegria genuína, medo inexplicável, a tristeza imensa e a raiva que explode. E a gente ama isso tudo, não é mesmo? 

E também morremos de curiosidade sobre o que se passa na cabecinha deles. É por essa razão que desde que vi as primeiras imagens de Divertida Mente, a nova animação da Disney-Pixar, pirei. A ideia da viagem ao local mais extraordinário de todos - a mente de uma criança - é apaixonante!

A história se passa na cabeça de uma garota de 11 anos chamada Riley, que precisa deixar sua vida do meio Oeste dos EUA para trás quando seu pai consegue um novo trabalho em São Francisco.

No filme, as aventuras dela são contadas a partir do quartel-general, o centro de controle dentro da mente de Riley, onde vivem suas emoções: Alegria, Medo, Raiva, Nojinho e Tristeza.

Estou ansiosa para ver no cinema - e vocês?

(Foto e vídeo: Acervo Disney)