Comportamento

Só eu sou doida?

Por Marina Breithaupt

Respira! Você é mãe e vai fazer algumas loucuras de vez em quando, e isso faz parte dessa nova vida

Só eu sou doida?

É claro que podemos afirmar que os "inícios" são sempre momentos delicados e que, normalmente, o primeiro filho nos ensina muito.

Seguindo essa lógica, nós mães deveríamos errar somente com os primeiros filhos, não é mesmo?

Só que na prática não é nada assim. Sabe aquela história de que quando nasce um bebê, nasce uma mãe? Eu diria que nasce uma Mãeluca, porque a gente fica, sim, meio maluca.

Aliás, muitas vezes é no segundo começo, ou seja, quando você já tem um filho e chega outro bebê, que as maiores loucuras podem começar a acontecer na vida de uma mãe.

Que atire a primeira mamadeira derretida, o primeiro feijão queimado... quem nunca se atrapalhou no dia a dia de mãe?

A gente passa por cada uma quando o cansaço e a falta de sono falam por nós. É muita carga de responsabilidade e o peso chega para quem tem uma, duas ou mais viagens.

Fui mãe muito nova, aos dezenove anos e sem experiência alguma com bebês. Já comecei fazendo trapalhada com a medicação. Eu tomava um medicamento para dor do pós operatório da cesariana e a Babi usava um descongestionante do mesmo laboratório. Os frascos eram iguais. Perguntem se não pinguei uma gota do meu remédio no nariz dela? Sorte que na hora que pinguei, já percebi o erro e ela espirrou na hora, a gotinha saiu inteira. Nossa, que alívio!

Uma vez Babi foi esquecida na escola. Calma, eu explico! Era uma data especial, aniversário do meu pai e estávamos correndo com uma festa surpresa. Naquele dia percebi que não daria tempo de pegá-la e quem teria que fazer isso seria meu marido. Acontece que esqueci de avisá-lo. Durou uma hora nosso "esquecimento". Quando meu marido chegou em casa sem ela, eu gelei! A escola era na esquina de casa e deu tudo certo, mas eu fui até lá chorando! Não chorando de preocupação, porque sabia que ela estava bem, mas chorando com muita raiva de mim mesma. Poxa, que cabeça!

Perdi as contas de quantas vezes queimei o almoço e Theo uma vez ficou sem todos os bicos de mamadeira e copos porque eu resolvi ferver tudo de uma vez. Ele já era grande, fui ajudar Babi com o dever de casa e ... quase incendiei a cozinha. Definitivamente, fogão aceso e cabeça ocupada de mãe são coisas incompatíveis!

E quando você já tem dois filhos imagina que nada mais pode te pegar de surpresa, não é?

Não, não é não!

Já entrei na vida de mãe de 3 fazendo trapalhada: fui pra maternidade simplesmente sem levar a mala. Nenhuma roupinha! Nadinha! E olha que preparei aquela mala por meses, mudei milhões de vezes, tirei foto, fiz vídeo (inclusive, assista um deles AQUI). Como pude sair de casa sem ela eu não sei explicar até hoje!

A vida de mãe é corrida, nossa cabeça nunca desliga e o estado de alerta é constante. Tudo isso, misturado ao cansaço físico e falta de sono dos primeiros anos, nos fazem parecer mais E.T.s do que seres humanos, pelo menos eu acho que é assim que minhas amigas que não têm filhos devem me ver.

E o que eu quero dizer com esse momento "eu confesso"?

Se liberte das cobranças! A gente erra hoje, errou ontem e certamente erraremos amanhã! Faz parte da vida e com toda certeza da maternidade também!

Agora confessa aí para mim, qual sua maior "mancada" materna?

Beijos,

(Imagem: Shutterstock)