Comportamento

Sobre ensinar um filho a ser persistente

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Das habilidades que são aprendidas na vida, eu acredito que essa seja uma das mais importantes: a persistência! Já parou para pensar em como você alimenta isso em seu filho?

Sobre ensinar um filho a ser persistente

Outro dia estava perto de uma rodinha de mães que discutiam o futuro "glorioso" de seus filhos - que, aliás, estudavam juntos em uma das mais conceituadas escolas de São Paulo. "Por mim, eu teria feito a matrícula do meu filho quando ele nasceu", disse uma delas. "Temos que dar o melhor agora, para que eles tenham um bom futuro", falou a outra. Já a terceira aparentemente fez um resumo do que todas elas achavam: "fico tranquila que ele estude lá, porque sei que ele terá uma vida profissional de sucesso".

Claro que eu não nego o valor da educação e de uma boa escola. Aliás, sou a primeira a defender esse direito para todas as crianças do país. Mas não deixei de achar curiosa a forma como aquelas mulheres falavam, absolutamente certas de que a escolha do colégio moldaria seus filhos para uma idade adulta promissora. 

Comecei a me lembrar mentalmente de todos os colegas que tive, tanto no ensino médio (que cursei em uma escola particular da cidade) como na faculdade (uma das principais universidades públicas do Brasil). Alguns vindos de colégios reconhecidos, famosos, outros tantos de famílias (e escolas) simples, como a minha, ou até com um poder aquisitivo muito menor. Acabei me perguntando se haveria alguma diferença ou similaridade entre eles, vendo a questão pela óptica daquela conversa alheia.

Sabem o que tirei dessa análise?

Que todos aqueles que hoje eu considero bem-sucedidos havia um traço constante - e que não era a escola da qual vieram. Todos eram extremamente persistentes e dedicados. Sabe aquele tipo de gente que tenta uma, duas, três, mil vezes, até que seus planos deem certo? Pois é, essas mesmas!

Foi então que eu me perguntei: "será que estou ensinando essa habilidade à minha filha?".

Vejam que interessante: a infância é uma fase incrível para se aprender a ser persistente! Porque nossos pequenos precisam adquirir um número infindável de novas habilidades em um breve espaço de tempo (mais do que em qualquer outra etapa da vida!).

Em poucos anos, uma criança passa de um ser que não consegue ter controle motor sobre sua mãozinha a um exímio corredor. Aprende a ler, a andar de bicicleta, primeiro com rodinhas, depois sem. E sabe o que acontece no meio do caminho? Ela cai! Não uma, nem duas, mas uma porção de vezes! Até que seu cérebro entende, e ela passa a executar aquela função com segurança.

Mas se as crianças são naturalmente persistentes, por que nem todos os adultos são?

A melhor resposta a essa pergunta poderia ser: porque elas desistem! Talvez porque deixem de acreditar em seu potencial, talvez porque tenham recebido uma educação na qual não era necessário muito esforço para conquistar seus desejos. Só que o mundo lá fora não funciona dessa maneira! 

Por isso, quando penso no quanto eu gostaria que miha filha se tornasse uma adulta bem resolvida, tento manter esse instinto da persistência em seu coraçãozinho. Tento não arrancar todas as pedras do seu caminho, para que ela descubra que é capaz de retirá-las sozinha. E fico ao seu lado, repetindo até que ela não tenha dúvidas: "vai lá, filha, você consegue".

(Foto: 123RF)