Comportamento

Você é uma pessoa empática ou simpática?

Por Renata Deos

Nem sempre ser a Miss Simpatia significa uma coisa boa. Descubra a diferença entre ter empatia e ter simpatia!

Você é uma pessoa empática ou simpática?

Muita gente confunde empatia e simpatia. Há pessoas que acreditam serem sinônimos, mas são bem diferentes, como revela Brené Brown em uma de suas palestras realizada nos Estados Unidos.

Brené é autora e palestrante, além de ser professora na Universidade de Houston, local em que desenvolve suas pesquisas sobre coragem, vulnerabilidade, vergonha e outros temas.

Hoje ela se diz uma "storyteller" (contadora de histórias). E em seu site uma frase ilustra essa sua característica: "Maybe stories are just data with a soul" (Talvez histórias sejam apenas dados com alma).

E é preciso ter alma para ser empático.

São 4 as principais características de uma pessoa com empatia:

  1. Perspectiva - ter a habilidade de reconhecer e se colocar na perspectiva da outra pessoa.
     
  2. Julgamento - ter a habilidade de não fazer nenhum tipo de julgamento.
     
  3. Emoções - reconhecer as emoções da outra pessoa.
     
  4. Comunicação - saber comunicar essas emoções que foram reconhecidas.
     

Brené diz que empatia é sentir junto com a pessoa. Empatia é uma escolha e uma escolha vulnerável, porque para se conectar com o outro tem que estar consciente que você vai se conectar com algo em você mesma, algo que também conhece esse sentimento.

Ela diz que nunca uma pessoa empática começa uma fala com "Pelo menos..."

Quer alguns exemplos? Quando alguém conta que perdeu o bebê que esperava, as pessoas falam "Pelo menos você pode engravidar novamente" ou quando alguém fala que o casamento está em pedaços, se ouve "Pelo menos, você tem um casamento". E por aí vai o "Pelo menos..."

Geralmente, quando alguém conta um problema ou algo triste, carregado de dor, nossa primeira reação é minimizar o problema ou o sentimento doloroso. Temos a tendência de querer aliviar e tentar resolver.

Dividir um sentimento com alguém é difícil. Como vimos, requer entrar em contato com nossos sentimentos.

Mas ter uma resposta ou tentar aliviar ou minimizar a situação, não melhora nada. Segundo Brené, o que melhora é estabelecer uma conexão com a pessoa. 

Veja a animação com narração da doutora Brené Brown e legendas em português!

Há pouco tempo no Facebook, Holley Kitchen, uma americana que aos 39 anos descobriu ter um câncer de mama em estágio 3, postou um vídeo sem falar nada, apenas levantando fichas escritas para ensinar as pessoas como reagir em relação a quem tem um problema sério.

No vídeo de Holley se leem fatos como seu câncer de mama ter se espalhado para os ossos e sobre o diagnóstico que ela deve ter apenas 26 meses de vida.

E se lê também que pacientes com câncer com metástase não querem ouvir frases do tipo "Você vai superar..." ou "Mas você é tão jovem..." ou "Você já tentou esse tratamento?" ou  "Continue lutando".

Holley ensina que às vezes é melhor não falar nada ou talvez dizer que vai rezar por ela (e rezar mesmo).

Ela termina pedindo que o vídeo seja compartilhado para educar outras pessoas. Só no Facebook o vídeo já teve quase 2 milhões de compatilhamentos. 

Infelizmente o vídeo original está em inglês, mas vale a pena assistir! Há no Youtube uma versão com legenda em espanhol também.

Então voltando à questão inicial, você é empática ou simpática com as pessoas?

(Imagem de destaque: reprodução da animação)