Cozinha

Vegetais: os rejeitados!

Por Patrícia Cerqueira
@Comida Boa Muda Tudo

Poderia ser título de filme, livro infantil ou peça de teatro, mas é a realidade do paladar infantil brasileiro

Vegetais: os rejeitados!

Dizem que toda unanimidade é burra, mas no reino da infância parece que essa máxima impera quando o assunto são as hortaliças, mais precisamente, vegetais. 

Tanto impera que é uma das certezas de quem tem filho: em algum momento entre o primeiro e o terceiro ano de vida, toda e qualquer criança irá torcer a boca para alface, espinafre, cenoura, brócolis, berinjela, entre outros. 

Samuel começou a separar os verdes do prato pouco antes dos 2 anos. O mesmo aconteceu com Miguel, que parou de apreciar abobrinha crua e brócolis cozido. 

Que a fase da rejeição de legumes ocorre a partir do segundo ano de vida, toda mãe e pediatra sabem. Faltava saber a razão de tanto afastamento e quais alimentos estavam no topo dos mais difícies de serem consumidos.

Pesquisadores descobriram que vegetais como alface e abobrinha podem desaparecer que não deixarão saudades entre os menores. Aliás, os vegetais são os campeões de rejeição, com 75% dos pequenos entrevistados torcendo o nariz para eles. Em seguida, aparecem legumes (66%) e leguminosas (30%).

Segundo a pesquisa, coordenada pela empresa Mead Johnson, esses alimentos são mais difíceis porque as crianças não gostam do sabor ou, talvez, do jeito como são apresentados a elas.

Entre os legumes, os mais citados como detestáveis são: cenoura, brócolis e berinjela. Já entre as leguminosas estão - pasmem! - feijão, lentilha e arroz! Pelo menos um terço das criançam rejeita o prato mais consumido no país!

Razões para não comer esses alimentos

É provável que você já tenha perguntado para o seu filho por que ele não gosta de determinado tipo de alimento. E ele deve ter respondido porque acha o gosto ruim, assim como as crianças pesquisadas disseram a respeito de vegetais (55%), legumes (56%), frutas (47%), derivados do milho (55%), aveia, arroz, batata (50%), leguminosas (51%) e ovos (45%).

Mas que gosto ruim é esse? É amargo? Sim, as crianças acham principalmente os vegetais e os legumes amargos e também responderam sobre quais alimentos tinham dificuldade para engolir e quais causavam ânsia e vômito, entre vegetais, legumes, carnes e leguminosas (os já citados acima).

O resultado da pesquisa impõe, para mim, um desafio para mães, pais e quem mais cozinhe para as crianças: temos de preparar esses alimentos de maneira mais saborosas, conquistadora e bastante lúdica.

Uma sugestão: imaginem como as crianças asiáticas, que têm nas hortaliças a sua base de alimentação, comem todos os dias. 

Por aqui, Samuel come berinjela e abobrinha empanadas e fritas. Aceita o espinafre se estiver no arroz, no bolinho de arroz. O chef Henrique Fogaça, do Master Chef Junior, contou para mim, lá no Comida Boa Muda Tudo, como fazer os legumes de maneira mais deliciosa, menos amarga e mais doce, agradando ao paladar infantil.

O desafio de cozinhar melhor está lançado!

Beijos e já para cozinha!
Patrícia

(Foto: Getty Images)