Almoços e Jantares

Receitas que não podem faltar nas ceias

Já pensando no cardápio do fim de ano? Listamos os pratos tradicionais e obrigatórios na mesa brasileira

Receitas que não podem faltar nas ceias

As datas mais esperadas do ano estão chegando (oba!). Sempre recheados com momentos especiais, Natal e Ano-Novo são festas que marcam o momento em família. É a hora de rever os parentes que moram longe, reencontrar a turma toda e, é claro, se deliciar com os pratos saborosos dessa época. Não à toa os preparativos para a data começam bem cedo.

O bom é que, apesar de alguns pratos tidos como “obrigatórios”, as datas permitem que as famílias definam as comidas cheias de amor e afeto que vão aparecer nas mesas. E aí a festa ganha ares ainda mais emocionantes, pois os pratos podem trazer lembranças e boas recordações.

É tradição brasileira ter sempre uma mesa bem farta, cheia de comidas e com aquele toque especial que cada família tem. Conversamos com algumas mulheres para saber quais os pratos que não podem faltar na ceia da família.

“Em casa, as festas de fim de ano começam a ser organizadas bem cedo. Reunimos toda a família na minha casa, meus parentes vêm de vários lugares e é a hora de matar a saudade. Sempre nos dividimos na comida e cada um traz alguma coisa e vamos todos para a cozinha. É sempre uma festa. Mas, todo ano, tem sempre o famoso tender e o peru com uma receita da família, em que colocamos cereja e nozes. Já no Ano-Novo, pode até ter outros pratos, mas a lentilha e o charuto de folha de uva não podem faltar” – Fernanda Paim Kassab Saraiva, 42 anos, gerente administrativa, de São Paulo (SP).

“Nossa família é muito grande, e muito unida. A única data que conseguimos juntar todo mundo é no fim de ano. Vamos todos para a casa da minha mãe, que fica no estado do Rio de Janeiro, e lá passamos o dia preparando a nossa ceia. O gostoso é rever meus irmãos e sobrinhos, e todo mundo se ajuda. Minha família é portuguesa, cada um dá um toque diferente nos pratos, mas se tem uma coisa que não pode faltar é a nossa famosa bacalhoada, que é tradição de anos da família. A comida é feita de geração em geração, desde meus avós. E até hoje minha mãe é quem manda na cozinha, mas os mais novos sempre ajudam. Já o chester e o lombo também estão sempre na mesa. Para sobremesa, tem sempre o nosso tradicional pudim de leite e a rabanada. Meus filhos pedem desde criança” Alzira Maria Conceição Ribeiro, 53 anos, dona de casa, de Resende (RJ).

“Os pratos do Natal, como o lombo e o peru, não podem faltar, porque representam a ceia de Jesus. E no Ano-Novo tem que ter lentilha, que significa dinheiro, e também o famoso bacalhau da minha tia, sempre muito saboroso e preparado dias antes - a receita ela nunca revela. São dias muitos especiais para nossa família; meu filho sempre adora participar da produção junto com os primos. Em casa, cada um tem a sua tarefa: as sobremesas são os filhos que pedem, já meu marido não deixa de fazer o chester e sempre completamos com um arroz no champanhe, salada de penne com queijo branco. Para sobremesa tem que sempre ter o pudim de leite com sorvete.”Rosana Medeiros Gomes, 32 anos, funcionária pública, de Guarulhos (SP).

“Eu e minhas irmãs somos as cozinheiras da família. E quando chega pertinho do Natal, sempre conversamos para saber em qual casa vamos fazer a nossa ceia, e aí começamos a fazer as compras. Todo ano é igual: na nossa ceia não podem faltar peru assado, chester, arroz de forno, porque dizem que traz muita riqueza e saúde, e também a famosa bacalhoada, que é receita da minha sogra. Cada parente vai trazendo uma coisa, e as crianças amam o panetone com pavê de chocolate. No Ano-Novo, sempre aproveitamos um restinho dos ingredientes e das sobras do Natal e faço um prato inovador com eles. Fazemos também uma boa lentilha, para dar muita sorte e dinheiro para o próximo ano. É regra sempre comer aqui também a romã, pois dizem que simboliza fartura, e depois ainda guardamos as sementes dentro da carteira.” – Zelita Silva Livramento, 49 anos, costureira, de Pindamonhangaba (SP).

“Nossa família é cheia de tradições, por isso mantemos sempre as mesmas receitas todo ano. Tem pessoas que dizem que não podemos comer animais que ciscam ou andam para trás, mas aqui em casa sempre comemos uma ave, como o chester e o peru. O lombo também é preparado todos os anos, e deixamos sempre de um dia para o outro para ele ficar no ponto certo e com um temperinho bem caseiro que eu mesma preparo. No Réveillon, mantemos a lentilha como prato principal, pois ela traz sorte para a família e muito dinheiro, acompanhada com um arroz de forno, e algum resto da ave que fizemos no Natal”. – Sylvia Prudente Nobrega, 58 anos, dentista, de Taubaté (SP).

“O Natal e o Ano-Novo são datas muito importante para nossa família; somos muito religiosos. Por isso, a família inteira se reúne em casa, que fica no interior de São Paulo, e é uma forma de se reencontrar e matar a saudade dos meus sobrinhos, dos irmãos e cunhados. Minha mãe sempre foi uma boa cozinheira desde pequena, e nós passamos o dia na cozinha para preparar a ceia. É tradição as mulheres da família fazerem algum prato, mas as receitas do lombo e do peru são da minha mãe. Enquanto isso, os maridos vão ao supermercado para comprar as bebidas e os restos dos presentes. Eu já sou especialista no pavê de chocolate e na lentilha.” – Rosana Franco, 45 anos, gerente de comércio exterior, de São José dos Campos (SP).

“Nossa ceia de Natal é bem simples, mas tem três coisas que não podem faltar todo o ano: lentilha, peru e a bacalhoada. Reunimos toda família aqui na minha casa, vem parente de todo lugar, e até os amigos participam. Minha família é muito grande, então nossa ceia sempre foi muito farta. Fazemos um capeletti recheado com peito de frango, com os peitos cozidos e moídos com salame, e depois misturamos com parmesão. O meu segredo é ralar bastante noz-moscada nele. Já no Ano-Novo, sempre faço um bom bacalhau em camadas ao forno, junto com um arroz à grega com uva-passa, e o meu maior segredo é colocar lascas de amêndoas tostadas. E ainda costumo colocar bastante cebola porque minha filha adora, mas antes as passo na frigideira com bastante azeite e depois coloco em cima da bacalhoada. O resto da família traz o pernil e o lombo. O melhor mesmo é rever meus filhos, genros e noras, e os netos todos reunidos com muito amor. Até a criançada ajuda nessa hora.”Nancy Valerini Pinheiro, 63 anos, doceira, de São Paulo (SP).

Para quem quer começar a montar o cardápio, trazemos duas receitas especiais:

Bacalhau à Zé do Pipo

Aprenda a preparar essa receita tentadora e muito prática do chef português Vítor Sobral, do Tasca da Esquina.

Ave com molho de frutas vermelhas

A combinação de sabores desta receita da chef Anouk Rosa, do Donna Pinha, é simplesmente incrível.

(Foto: Getty Images e Divulgação)