Disney Baby

3 fases da mãe de primeira viagem

A mãe entende as fases que o bebê está passando, mas precisa olhar para si mesma e perceber que também tem suas próprias fases para enfrentar

3 fases da mãe de primeira viagem

“É fase!”. Essa é a frase mais ouvida entre as mães. E as de primeira viagem acompanham ansiosamente cada uma delas. Elas começam instantaneamente, assim que o bebê é levado para casa: a fase de trocar o dia pela noite. E são tantas as fases que até perdemos a conta!

Engatinhar e começar a descobrir os espaços da casa.

Os primeiros passos cambaleantes.

Quando descobrem a carinha no espelho...

O tempo passa. Eles crescem. Logo estão na fase de chupar o dedo, ou de só comer arroz branco ou vestir apenas camisetas vermelhas. Tem a fase de falar mais que uma matraca, a de se recusar a cortar o cabelo e a fase em que você acha que ele nunca aprenderá matemática (eles aprendem, confie em mim).

É verdade que cada estágio representa um marco de desenvolvimento, seus progressos para se tornarem a pessoa que um dia serão. Mas você já parou para pensar que, como mãe, também passa por suas próprias fases?

Quando você se torna mãe, também tem sua fase de passos cambaleantes. Os primeiros meses são da fase de duvidar da sua capacidade, marcada pelas madrugadas lendo blogs de mães e caçando conselhos de profissionais. Chorando no consultório do médico por não conseguir aliviar as cólicas do bebê. Andando para lá e para cá. Não tomar banho. Ninando, balançando, tentando acalmar o bebê.

Também é marcada por: paradas na esquina para ter certeza que o bebê conforto está firme, mesmo depois de ter checado 500 vezes antes de sair de casa; ser lembrada pelas minhas amigas que aquilo tudo é normal - e me fazer acreditar que eu estava fazendo um bom trabalho como mãe.

Felizmente, uma hora você sai desse lugar obscuro e passa para a próxima fase: se apaixonar perdida e loucamente por sua cria. Para a maioria das mulheres, acredito que esse estágio venha antes. Mas muitas mães não conseguem criar um vínculo instantâneo com o filho. Claro que há amor, mas de repente você sente algo inexplicável, vocês estão conectados.

Você traça as linhas de seu rosto, estuda o redemoinho no topo de sua cabeça. Cheira o pescocinho e memoriza esse cheiro. Faz músicas. Aproveita ao máximo o banho, vestir a roupa, amamentar...

São momentos mágicos só dos dois.

Uma hora, a vida te alcança e a realidade se instala. Aquele bebê em seus braços não é uma nova aquisição da família, você sente como se ele sempre estivesse lá. Ele é seu filho, você é sua mãe e isso é para sempre.

Os dois continuam passando de fase em fase, um dia após o outro. Alguns são desafiadores. Alguns passam bem leves. Alguns dão vontade de se esconder embaixo das cobertas, colocar o travesseiro na cara e se perguntar: “o que eu estou fazendo?”.

Mas o lance de ser pai e mãe é esse, não importa por qual fase se está passando e qual batalha está enfrentando, o que importa é que fazemos juntos. Passar por uma fase como uma família é a fase que não deve acabar nunca!

Por Mary Lauren Weimer (texto original)

(Foto: Getty Images)