Disney Baby

3x1: três filhos para uma mãe

Por Marina Breithaupt

É preciso muito jogo de cintura quando se tem um filho vivendo cada fase da infância

3x1: três filhos para uma mãe

Nossa vida com três crianças em idades tão distintas pode ser vista como uma grande bagunça se observada por alguém que não participa dessa "bagunça": uma filha com 15 anos, um menino com 6 e a caçula que acaba de completar o primeiro ano de vida. Somos dois, meu marido e eu, para darmos conta das atividades e necessidades deles.

A demanda é grande! Babi tem várias atividades extras. Além de grupos de estudos e os trabalhos, sou uma "mãetorista" que voltou ao Ensino Médio pois, para auxiliá-la, preciso muitas vezes rever e relembrar toda a matéria dessa época - que, aliás, mudou muito!

Theo estuda no período da manhã também, o que não é muito fácil para ele. Mas foi o arranjo possível para nós: como vão para a escola no mesmo período, isso evita mais um leva e traz em horários diferentes.

Ele também tem algumas atividades extras no período sem aula, mas são poucas, pois precisa fazer as tarefas da escola, que já somam bastante coisa. No restante da tarde, priorizo que ele brinque e descanse.

Amelie acaba de fazer 1 ano. Serelepe, já anda e corre para todos os lados, demanda cada dia mais atenção. Precisa que a gente fique com ela durante as brincadeiras, pede para passear e, como boa virginiana, gosta de uma rotina organizada.

O nosso dia a dia é intenso, quase militar, para dar conta de tantas necessidades diferentes, de uma casa inteira e de todo o nosso trabalho. Fizemos adaptações. O home office passou a ser fundamental, tanto para mim quanto para meu marido. Afinal, somos uma dupla e nossas carreiras permitem essa opção.

Não temos ajuda em casa, somos só nós e as crianças. E, quando digo isso, muita gente arregala o olho e pergunta: "Mas como vocês conseguem?"

Primeiro, não conseguimos sempre! Por muitas vezes, algumas coisas deixam de ser feitas para que as prioridades possam ser realizadas e, em segundo, organização e planejamento são fundamentais.

Mas mais fundamental ainda é saber que, mesmo dentro da organizada agenda, surgirão "furos". E a gente não se culpa quando algo sai do "script"! 

É a vida, pelo menos a de mãe!

Um beijo

(Foto: Arquivo pessoal)