Disney Baby

Apoio na hora do parto

Por Jorge Freire Jr.

No nascimento do seu filho, deixe claro que você está ali para ajudar e que sempre a última palavra será sua: "sim, senhora!"

Apoio na hora do parto

Quando meu filho nasceu - em 2010 - eu acabei sendo impertinente em vários momentos no parto.

Eu queria participar e ajudar o máximo possível, mas atrapalhava mais do que tudo. O resultado disso eram olhares da minha esposa que me dão arrepios só de lembrar.

Algo que aprendi é que não devemos perguntar se as contrações estão doendo. E eu tinha a capacidade de fazer essa pergunta bem no momento em que elas começavam!

Ou seja, eu estava atrapalhando mais do que ajudando...

No nascimento da minha filha fiquei praticamente calado. Logo que chegamos na maternidade, disse para a Fá que eu estava ali para ajudá-la.

Qualquer coisa que ela precisasse, era só pedir. Disse ainda que não iria ficar fazendo perguntas, nem sugerindo nada!

Deixei claro que quem mandava era ela e eu estava ali para dar suporte.

Deu certo.

O parto correu bem e a Fá não me desejou a morte nenhuma vez.

Conversamos coisas bobas e eu entendi como funciona o leitor de batimentos fetal, pois ele também mede as contrações. Aí, quando eu via o início das contrações no medidor, ficava calado.

Fica a dica para os pais: na hora do parto, deixe claro que você está ali para ajudar e que sempre a última palavra será sua: "sim, senhora!"

(Foto: Arquivo pessoal)