Disney Baby

Barriguda, linda... E com o guarda-roupa adequado!

A gravidez também reflete no seu armário. Para ajudá-la, listamos os modelos mais indicados para as mudanças típicas da gestação

Barriguda, linda... E com o guarda-roupa adequado!

Além de todas as alterações emocionais, corporais e do estilo de vida pelas quais passa, a gestante precisa encarar uma mudança que também não é nada fácil: a do conteúdo do armário.

“Durante a gravidez, muita coisa mudou, mas principalmente o guarda-roupa”, conta Gabriela Elorza de Oliveira, publicitária. Quando ela ficou grávida da Marina, hoje com dois meses, percebeu na pele como as roupas do dia a dia foram mudando.

“A necessidade de repaginar o meu modo de vestir veio surgindo junto com a barriga, ou seja, gradualmente. A minha barriga ficou bem perceptível por volta do quinto mês de gestação, e foi aí que comecei a alterar meu jeito de me vestir”, lembra-se.

E é bem por essa data mesmo. “Conforme o corpo muda, as peças que estão no armário vão ficando cada vez menores e a partir do mês cinco fica difícil aproveitar muita coisa, principalmente as peças mais estruturadas e sem stretch”, confirma a consultora de imagem e estilo Maria Angélica Duque Bellotti, sócia de Gisela Sarmet Gazineu na MAG Consultoria de Imagem e Estilo.

A boa notícia é que foi-se o tempo em que gravidez era sinônimo de roupa folgada e pouco elegante. Maria Angélica e Gisela contam que hoje em dia as mulheres grávidas querem estar produzidas e bonitas para encarar esse momento tão especial.

A jornalista do SBT Joyce Ribeiro, quando ficou grávida em 2012, por exemplo, não abriu mão de usar vestidos estilosos como esse da foto abaixo.
 

Renata Rila, da Rila Quintino Consultoria de Imagem, endossa o coro. “Com as mudanças provocadas na gestação precisamos pensar no armário. Nosso corpo muda e, com ele, a imagem que transmitimos ao mundo. É preciso levar nossa melhor versão para este novo papel de vida e manter o estilo, nossa essência e adaptar a modelagem ao nosso tipo físico”, argumenta.

Antes de mais nada...

Para encarar essa fase, a dica principal das consultoras da MAG é pensar em roupas confortáveis, com caimento bacana, tecidos leves e que conversem entre si. Como é uma fase transitória, o segredo é investir em peças-chave e abusar dos acessórios para dar bossa e diversidade aos looks.

Renata também lembra que não é necessário tampouco sair por aí comprando tudo. “Adquira apenas o essencial, priorize as peças lisas, tecidos fluidos e cores sóbrias. Não compre peças grandes. Procure peças exclusivas para gestantes, que são feitas para o seu tamanho e para a sua barriga que está crescendo”, esclarece

Já Gabriela conta que é importante manter-se fiel ao próprio estilo e aproveitar ao máximo seu guarda-roupa. “A gravidez é só uma fase e não existe grandes necessidades de mudar todo seu guarda-roupa por isso. Vista-se como você sempre vestiu, com a preocupação extra de sentir-se bem. E aproveite muito a barriga, porque isso passa muito rápido!”, aconselha.

Confira abaixo quais foram os modelos mais indicados pelas consultoras de estilo e (re)monte seu guarda-roupa.

(Fotos: Getty Images e Divulgação - Joyce Ribeiro, Emma Fiorezi, Megadose, Rockstter e Empório Naka)

1
Vestido
Aposte em modelos longos, de preferência com corte abaixo do busto (do tipo corte império) e com decote em V. “Eles alongam a silhueta e definem bem a barriguinha, dando forma à visão geral do corpo”, explica Angélica. Dica: use um cinto fino abaixo do busto para deixar a barriguinha em destaque. Renata lembra que os vestidos dessa modelagem “marcam o que podem marcar” e garantem espaço para o crescimento da barriga.
2
Bata
Confortáveis e versáteis, as batas podem ser usadas no trabalho, no shopping e até mesmo na praia, segundo Renata Rila. “Olhe o caimento nos braços, nos seios e na barriga: é isso que fará a diferença”, diz. Escolha as batas com marcação abaixo dos seios, que deixarão você mais feminina e romântica. Se não tiver essa marcação (mas o corte permitir), coloque um cinto fininho que fará o mesmo efeito. “Se for usar com calça, prefira uma mais justa para harmonizar as proporções”, observa a consultora.
3
Casaco
Invista em cardigãs, casacos abertos ou pulôveres. “Para quem tem os quadris estreitos, o comprimento ideal é aquele que acaba exatamente no quadril; quem tem o quadril mais largo deve escolher os que acabam acima ou abaixo, alongando a silhueta”, ensina Renata. A abertura frontal permite que um casaco seja usado durante toda a gestação. Evite golas altas, fechadas ou exageradas, que aumentam os ombros e os seios. No frio também vale apostar em casacos estruturados, como blazer e jaqueta de couro. “Se você precisa usar um blazer para o trabalho, invista em um próprio para grávida que pode ser regulado de acordo com o tamanho da barriga”, sugere Renata. Ela lembra também que, além do modelo tradicional, existem alguns cruzados na frente e amarrados atrás que são superconfortáveis e fáceis de ajustar.
4
Short
Nesse quesito, o modelo boyfriend é o campeão de indicações. “Além de mais confortável, não aperta a perna causando desconforto”, recomenda Gisela. É possível ainda completar a composição com um blazer ou colete para dar um ar mais arrumado. Para Renata, os shorts larguinhos, de um modo geral, são perfeitos para os dias quentes, ainda mais com blusas justas que evidenciam a barriga. “Para quem prefere modelo justinho, deixe a blusa mais solta e fique atenta para ver se as pernas permitem, já que elas estarão mais inchadas; cuide para o short não ficar com aparência de apertado”, alerta.
5
Calça
Se você tem quadril estreito ou silhueta reta, a consultora da Rila Quintino tem uma dica: pode usar calças que trazem volume para essa parte do corpo, como a saruel, com blusas justinhas. “Se o seu quadril for mais largo, escolha as calças retas e as bootcut. Evite as calças afuniladas. Com o volume da barriga, elas ficarão desproporcionais.” Já Angélica e Gisela apontam a pantalona como uma ótima opção, pois é superconfortável e muito elegante. “A famosa legging também pode ganhar status quando for estampada ou com textura”, conta Gisela. Renata alerta, porém: “Vista sempre com batas ou blusas soltinhas que cubram os quadris mas que evidenciem a cintura.”
6
Jeans
Se você não abre mão do seu jeans, Renata observa que existem os específicos para grávidas com stretch e em diversos modelos, como skinny, reta, flare - em que o cós é mais alto, feito em elastano ou ribana para dar sustentação e conforto a barriga. “Os jeans de lavagem mais escuras são mais adequados; já os com lavagem clara ou com 'bigodes' dão o efeito de pernas mais largas e podem não ficar tão bem se suas coxas forem grossas”, avisa a consultora.
7
Camiseta
As folgadinhas e compridas são as ideais. “Prefira tecidos finos para um ar mais sofisticado, a malha pode dar um ar de desleixo”, indica Angélica. Sempre é possível arrematar a camiseta com um colar longo, o que dá um ar de “acabamento” ao look, além de deixar a gestante com a silhueta mais alongada. Também é bacana investir em estampas divertidas se o objetivo for compor um look mais despojado. “De alcinha, manga curta ou comprida, priorize as que são justinhas, que ajudam a alongar a silhueta”, diz Renata.
8
Saia
As longas e que possuem uma cinta elástica para acomodação da barriga, que se expandem de acordo com o crescimento, são ótimas pedidas. Renata aconselha não usar saias muito curtas - no máximo, um palmo acima dos joelho. “As mais curtas são desconfortáveis e deselegantes. As longas são um bom investimento, pois você pode usar durante o dia com uma sandália rasteira e fazer produções para a noite acrescentando uma blusa de seda ou de outro tecido fluido de bom caimento. Se a saia tiver elástico na cintura, use abaixo da barriga para evitar que aperte, e prefira sempre as soltinhas com tecidos leves, pois as grávidas sentem mais calor”, comenta.
9
Camisa
Tais peças são sempre bem-vindas, mas com atenção para que os botões não fiquem abrindo. “O material das camisas pode ser jeans, seda, crepe, voile... O importante é que o tamanho seja certo para que não incomode a gestante nem pareça apertada”, conta Gisela. “Se as camisas forem um item indispensável do seu guarda-roupa, compre as específicas para grávidas. Não adquira tamanho maior do que o seu: ele irá acomodar a barriga, mas ficará grande nos ombros e nas costas”, adverte Renata.
10
Macacão
Os macacões e macaquinhos seguem a mesma linha dos vestidos. “Prefira os que têm o decote em V e marquem embaixo do busto, feitos com tecidos fluidos, pois sempre são mais confortáveis”, aconselha Angélica. Para Renata, as variações do macacão (curta e longa) permitem que seja adequado a diversos estilos e ambientes. Ela lembra que existem ainda macacões cuja modelagem facilita a amamentação: são transpassados nos seios ou possuem zíper frontal.
11
Lingerie
Devem ser sempre confortáveis e exatamente do tamanho adequado à mulher, nem grandes nem pequenas demais. “Os sutiãs que vão acompanhar a grávida durante a gestação têm as alças mais largas para dar maior sustentação aos seios, agora muito pesados”, conta Renata. Quanto às calcinhas, uma boa pedida são as que têm uma cinta elástica que, além de dar suporte à barriga, à frente e às laterais, são feitas com um tecido reforçado que se expande conforme o bebê cresce. As mais simples são de cintura alta e também dão sustentação para a barriga. “No dia a dia, opte pelas de microfibra e elastano, que não dão alergia e deixam a pele respirar”, indica Renata.
12
Bolsa
Invista em bolsas com tamanho médio, com alça curta ou média. As consultoras da MAG contam que elas são a melhor opção pois acompanham a proporção do corpo que a mulher ganha. “Se a grávida usasse uma bolsa pequena, o conjunto fica desproporcional, pois o corpo já está com mais volume; se escolhesse uma grande, somaria ainda mais volume ao corpo”, diz Angélica. O ideal ainda é usar a bolsa no antebraço: é uma maneira mais elegante de segurar a peça, que fica mais afastada do centro do corpo. Outra opção são as alças mais compridas usadas nos ombros e a bolsa na altura do quadril. Evite modelos de alças curtas nos ombros, colados ao corpo e alças traspassadas.
13
Sapato
Os calçados devem ser confortáveis, dar estabilidade, não apertar os pés e permitir a circulação do sangue normalmente. “Os melhores sapatos são sem salto, como mocassim, sapatilha, tênis e rasteirinhas”, enumera Renata. Prefira os modelos “flat”, tênis com uma pegada fashion e sapatilhas de bico mais fino (pois são mais elegantes). Se quiser usar salto, opte pelos grossos e quadrados, e num tamanho médio de 3 cm a 4 cm. E mais: “Se seus tornozelos forem grossos, evite sapatos que têm amarração nesta região. O solado também deve ser levado em conta, sendo as mais indicadas as solas de borracha e antiderrapantes”, observa a consultora.