Disney Baby

Bebês precisam escovar os dentes?

Precisam, e com alguns truques essa tarefa não será tão difícil e a saúde bucal do pequeno estará muito mais garantida para a vida adulta; veja como

Bebês precisam escovar os dentes?

O nascimento dos primeiros dentinhos é uma fase marcante para os pais e o bebê. E para quem não sabe, desde antes de ter dente, já é preciso higienizar a boca dos pequenos.

Porém, como muitas dúvidas ainda existem quanto ao assunto, especialistas esclarecem como cuidar da saúde bucal, desde o comecinho da vida.

1. A escovação deve começar quando o primeiro dente aponta? Qual a melhor técnica para escovar pela primeira vez e fazer com que o bebê se familiarize com o processo?

Na verdade, antes do nascimento do primeiro dente é bacana fazer a limpeza da gengiva com gaze e água filtrada, para que o bebê já vá se acostumando com a ideia da higienização bucal. A escovação propriamente dita inicia-se quando nasce o primeiro dente.

O ideal é que esse momento seja agradável, o mais lúdico possível. Os pais podem utilizar estratégias como cantar e contar uma história.

2- E na hora de enxaguar a boca? O bebê pode engolir pasta?

Bebês não conseguem enxaguar a boca, eles sempre acabam engolindo a pasta. Por isso é importante colocar uma quantidade mínima de pasta na escova (menor que um grão de arroz).

Ao engolir muito creme dental fluoretado, há risco de fluorose, aquelas manchas brancas nos dentes. Mas estudos mostram que se a criança engolir a medida de um grão de arroz por dia, esse risco é mínimo.

3- Os dentes do bebê precisam ser escovados depois de todas as refeições como os adultos?

O ideal é escovar depois de todas as refeições. Mas duas vezes ao dia, com pasta fluoretada, aliado a um baixo consumo de açúcar é suficiente para não ter cárie. Assim que possível (quando a colaboração melhorar) a criança também pode se habituar a escovar os dentes três vezes ao dia após as refeições, como os adultos.

4- Como passar fio dental em bebês?

Não há necessidade de passar fio dental em bebês, pois os dentes de leite geralmente são separados. No entanto, se houver ponto de contato entre os dentes, os pais já podem começar a usar o fio dental na criança. Lembre-se: sempre de maneira lúdica!

5- Afinal, o creme dental do bebê deve ter flúor? Caso a mãe tenha algum receio, quando é imprescindível introduzir o uso do flúor?

Alguns dentistas preconizam o uso de creme dental com flúor a partir do momento da erupção do primeiro dente para prevenção de cáries. Outros indicam depois do nascimento do primeiro molar. A pasta fluoretada deve ter acima de 1.100 ppm de flúor e na quantidade de um grão de arroz por dia, assim, o risco de manchas nos dentes permanentes é minimizado.

Caso a mãe tenha receio em usar pasta fluoretada, um odontopediatra deve ser consultado para avaliar o risco à cárie da criança, e, dependendo do risco poderá orientar o uso da pasta fluoretada.

Mas, a partir do momento em que a criança já consegue cuspir a pasta de dente (por volta dos 3 anos), não há porque ter algum tipo de receio com o flúor. Lembrando que a escovação deve ser sempre supervisionada por um adulto, até pelo menos os 6 anos.

6- E se o bebê não deixa escovar os dentes? Como fazer?

Não necessariamente a criança ou bebê colaboram para escovar. Até um ano, as crianças geralmente colaboram. De um até os 3 anos é uma fase difícil, as crianças costumam querer escovar sozinhas. Os pais devem tentar fazer o momento da escovação o mais agradável possível, com estratégias lúdicas para distraí-las, como cantar, contar uma história, escovar primeiro os dentes da boneca, do urso de pelúcia...

7- A língua também precisa ser escovada?

Sim, a língua deve ser escovada também. Claro que em bebês isso será uma tarefa bem complicada, mas em crianças a partir de 2 anos já se torna bem mais fácil.

8- Como escolher a escova de dentes do bebê?

A escova de dentes do bebê deve ter cabeça pequena e cerdas macias.

9-   Com que frequência os bebês devem ir ao dentista?

O ideal é que a primeira consulta aconteça quando começar a nascer os primeiros dentes, para que o dentista oriente os pais quanto à higienização e hábitos alimentares.

A frequência das visitas ao dentista depende do risco à carie, um odontopediatra pode avaliar identificar o risco. O intervalo das consultas pode variar de 1 mês (paciente alto risco e com lesões de cárie ativas) a 6 meses (pacientes baixo risco).

Fontes: Fernanda Raven, odontopediatra, supervisora geral da Cepae -FOP- Unicamp e Carlos Eduardo Luis Ferreira, dentista clínico geral.

(Foto: Getty Images)