Disney Baby

Brincando com bebês: o que eles gostam dos 6 aos 12 meses

No primeiro ano de vida, as crianças têm um ritmo de aprendizado acelerado. Por isso, vale explorar esta característica e passar bons momentos com os pequenos

Brincando com bebês: o que eles gostam dos 6 aos 12 meses

Além de proporcionar prazer, as brincadeiras são um momento para os bebês trabalharem a mente e exercitarem a força, sabia? Ao brincar, a pequena criança se diverte, enquanto resolve situações de conflitos, expressa seus próprios desejos, interesses e afetos. Desta forma, aprende a dominar seu corpo e o mundo exterior. E nunca se cansa! O período entre 6 e 12 meses é de grandes descobertas para o bebê.

Nesta época, o bebê é mais ativo. Já está firme, estica as mãozinhas para pegar objetos, engatinha e até tenta ficar parado, mas a verdade é que ele está em constante movimento e, certamente, uma das frases que você mais repete para os amigos é: “Ele não para". Acertamos?

É que, como a sua coordenação melhora diariamente nesta fase, o universo a ser explorado se amplia e as opções de brincadeiras são cada vez maiores. E os pais são os primeiros estímulos para seu filho. O bebê descobre o mundo através da interação dos adultos ao seu redor. Por isso, é muito importante que você reserve algum tempo do seu dia para brincar com seu bebê e, assim, aumentar o vínculo que une os dois. Vamos às brincadeiras?

Joga tudo!

Atirar um brinquedo o mais longe e o mais frequente possível é uma das maiores diversões para os bebês nesta fase. Recomendação: o melhor é dar brinquedos que não quebram, como animais de plástico, cubos de borracha, ursos de pelúcia etc. Detalhe: para ele, vai ser mais divertido se lançar as peças a partir de uma certa altura, como quando está na cadeirinha de comer. O arremesso de objetos e fazê-los "ir" e "vir" o permite experimentar "o perder e recuperar" o algo desejado, como se pudesse se aproximar e se afastar conforme sua vontade.

Cadê...?

Brincar de "cadê" pode surgir espontaneamente em qualquer situação cotidiana: no trocador de fraldas, no berço ou na cadeirinha de comer. De repente, vem a chance de esconder seu rosto com a fraldinha e perguntar: "Onde está meu bebê?". E sempre é assim: você o descobre e ele aparece com um sorriso enorme - como o seu, imaginamos -, lhe dando boas-vindas. Você também pode fazer o mesmo com os brinquedos favoritos dele, escondendo-os atrás das suas costas, ou cobrindo com um pano.

Música, por favor!

Os sons predispõem o bebê ao aprendizado e estimula suas áreas criativas. A música pode acalmar, encher de alegria e faze-lo gargalhar. Usando elementos que tem por perto, como conchas, colheres e panelas, você pode fazer um verdadeiro concerto. Cantar canções infantis, que você se lembra da sua infância, também vai ajudá-lo na aquisição da linguagem e a promover a comunicação entre mãe e filho. Com música de fundo ou não, seu filho vai adorar ouvir você cantar e podem até dançar juntos.

Como se vê, a brincadeira é um momento único para compartilhar, porque implica não só em um momento de alegria, mas uma ocasião em que os pais podem ver o seu filho desenvolver sua personalidade, enriquecer o vocabulário e reconhecer seu humor.