Disney Baby

Como é (de verdade) ficar em casa sozinha com o bebê

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

O pós-parto é uma das fases mais difíceis da vida de uma mulher. Pena que não se fale muito sobre isso!

Como é (de verdade) ficar em casa sozinha com o bebê

Durante minha gestação, eu imaginava como seria estar com minha filha nos braços. Em minha cabeça, se formava a imagem de uma cena de muito carinho e serenidade: Catarina, eu, o quartinho que fizemos para ela, minha filha dormindo calmamente depois de uma mamada. Puxa, deveria ser maravilhoso!

Então Cacá nasceu, e, aos poucos, eu fui entendendo o que era ter um bebê em casa. Percebi que aquilo tudo o que eu havia imaginado acontecia mesmo - e era tão bom! Uma sensação de um amor maior me invadia nesses momentos, e eu agradecia imensamente o fato de ter engravidado (pois minha filha foi, literalmente, um presente dos céus).

Mas antes que você, que tem um recém-nascido em casa, diga que estou louca, que as coisas não são exatamente assim, quero continuar esse texto. Porque essa é somente uma parte da história, mesmo!

Na maioria do tempo (aliás, na grande maioria), ficar com um bebezinho em casa é quase enlouquecedor. É como se você tivesse se tornado uma máquina de trocar fralda, amamentar, ninar, e descobrisse que o tempo que passou a ter para si mesma se reduziu a um banho de menos de 5 minutos. E assim mesmo com medo de que o filhote chorasse bem na hora em que seu cabelo estivesse coberto de xampu.

Ficar em casa sozinha com um bebê, além de cansativo, pode ser de uma solidão extrema. Porque não é como se você estivesse com um amigo com quem pode conversar ou mesmo com uma criança maior com que você consegue brincar. Como retorno às suas palavras, ao seu canto, existe apenas um olhar (que sejamos justos, é O OLHAR. É a coisa mais intensa e forte que uma mãe pode sentir nessa fase). E choro, que corta o coração da mãe, por não compreendê-lo e não saber como fazê-lo parar. 

Ficar em casa sozinha com o bebê te dá a sensação de que o tempo parou, mas que o mundo continua girando lá fora. Parece que as pessoas continuam vivendo suas vidas, passeando, viajando, conhecendo lugares incríveis (e o Facebook ou o Instagram acabam sendo as maiores vitrines). Enquanto isso você constata que todos os seus dias se tornaram iguais e dá uma vontade enorme de fugir dali.

Enfim, se você está passando por esse período e se sente culpada por esse "mix" de sentimentos, saiba que tudo passa. Que a parte difícil vai melhorando, até que sobram apenas aquelas cenas de amor e plenitude do início do post. 

(Foto: 123RF)