Disney Baby

A hora do sono

Por Marina Breithaupt

Um pouco de organização e rotina podem garantir noites tranquilas

A hora do sono

Não se trata de fórmula de sucesso e, sim, de algumas providências que podemos tomar para tornar o ritual da hora do sono muito mais agradável.

Claro que a eficácia vai variar muito de criança para criança, mas algumas mudanças e repetições podem trazer maior segurança para os bebês, tornando as noites de toda a família mais feliz.

Bárbara, minha primeira filha, foi um bebê insone. Não gostava da noite e demorou muito para conseguir uma noite inteirinha de sono. Eu era uma mulher-mãe-zumbi.

O segundo bebê, Theodoro, também não era muito fã do berço e foi nessa época que comecei a pesquisar maneiras de auxiliá-lo a conquistar algumas horas de sono contínuas. 

Não consegui resultados muito positivos, pois na época não entendia a necessidade de rotina, repetição e constância dos bebês. Eles se sentem seguros sabendo o que vem pela frente e, então, ficam mais relaxados.

Na primeira noite em casa da Amelie, eu já tinha um plano: rotina!

Desde então o ritual se repete e, por enquanto, tenho me esforçado para não "furar o esquema" até que ela se acostume totalmente. Para isso, conto com a colaboração da família toda. Nós tivemos que adaptar os horários de todos para que houvesse o máximo de silêncio e tranquilidade nesse período.

Amelie ainda é muito pequena e, claro, tem dias que simplesmente as coisas não funcionam.

Tudo bem, isso não me desanima. Ainda acredito que a repetição é a grande chave do sucesso e, apesar de saber que cada criança é única, acho que todos podem se beneficiar de horas tranquilas ao menos antes de dormir.

Se uma rotina regrada e tranquila não ajudar o seu bebê a dormir por longos períodos, ao menos o deixará mais relaxado - e bebês calmos são muito mais felizes!

Me conta como é - ou era - aí na sua casa!!

Um beijo

(Foto: ShutterStock)