Disney Baby

As lembranças sobre o bebê que realmente ficam

Por Nívea Salgado
@Mildicasdemae

Se nos primeiros meses você só consegue pensar nas crises de choro, na cólica, no refluxo, saiba que não são essas as memórias que a fase lhe proporcionará em pouco tempo

As lembranças sobre o bebê que realmente ficam

Se você tem um bebê de poucos meses em casa e a vida parece que nunca mais voltará ao normal, eu sei exatamente o que você está sentindo. Há pouco tempo, quando minha filha Catarina nasceu, as mesmas dúvidas, incertezas e angústias estavam presentes em meu coração.

Naquela época, dormindo no máximo cinco horas por dia, com pouquíssimo tempo para mim mesma, eu me perguntava se minha rotina seria aquela, para sempre. E duvidava que aguentaria por muito tempo - o cansaço era enorme, tão grande que não poderia sequer cogitar a ideia de desejar um segundo filho.

Mas o tempo passou e é incrível como ele nos traz um presente inesperado: o de manter, principalmente, as lembranças boas. E quando estamos falando das memórias relacionadas a um filho, isso é ainda mais marcante!

Por isso, vou te contar alguns segredos:

- Se você acha que se lembrará do esgotamento das noites insones, descobrirá que recordará apenas o sorriso tranquilo do filho, observando-o ao lado do berço.

- Se você acha que se lembrará das dores ao amamentar, só conseguirá pensar naquela mãozinha minúscula pegando na sua, enquanto o pequeno mamava.

- Se você acha que se lembrará das crises de cólica, só conseguirá cantar a canção que o acalmava.

- Se você acha que se lembrará da primeira febre, provavelmente não saberá se foi depois ou antes dos primeiros passos (esses, sim, você saberá exatamente com que idade aconteceram).

- Se você acha que se lembrará da dificuldade em dar novos alimentos, sorrirá ao pensar nas caretas, frente a novos sabores.

- Se você acha que se lembrará das crises de birra, descobrirá que elas são muito menos importantes do que todos os momentos de ternura que viveram juntos.

Essa primeira etapa, de tanto desgaste para a mãe, passa de verdade! Vêm outros desafios: o de educar, o de proteger, mesmo sabendo que suas asas já não o cobrem totalmente. E você se pega desejando, por alguns instantes, que o tempo voltasse, para sentir aquele bebê tão pequenino em seu colo novamente.

(Foto: 123RF)