Disney Baby

O lado chato da gravidez - e como se livrar dele

Acredite: há formas simples e seguras de deixar de lado os incômodos que podem aparecer durante a gravidez

O lado chato da gravidez - e como se livrar dele

Descobrir-se grávida pode ser uma das melhores sensações do mundo: somos tomadas por uma felicidade intensa e, verdade seja dita, imaginar que estamos gerando uma vida é profundamente emocionante.

Mas, passados alguns dias da descoberta, podem começar a aparecer alguns sinais de que não é tudo 100% perfeito. É quando surgem os primeiros desconfortos decorrentes da experiência, como azia, enjoo e tontura.

Claudinha Oliveira sentiu enjoo e azia acompanhados de salivação excessiva durante os primeiros meses nas gestações de suas duas filhas. “Meu médico não quis me receitar nada porque disse que se tratavam de sintomas comuns da gestação e que passariam após os 3 meses”, conta.

Na maioria dos casos, a melhor saída mesmo é encontrar opções naturais para amenizar os sintomas em vez de utilizar medicações.

“Existe uma maneira muito eficaz para prevenir até 80% dos desconfortos na gestação: ter uma gravidez saudável, no que diz respeito aos hábitos e estilo de vida”, afirma Silvia Gomyde Casseb, obstetra do Hospital e Maternidade São Luiz Itaim, em São Paulo.

De acordo com a médica, as gestantes devem se alimentar de forma saudável e praticar atividades físicas, além de manter refeições fracionadas sem grandes intervalos de tempo e um bom padrão de sono para evitar a maior parte dos incômodos que aparecem na gravidez.

O próprio posicionamento do bebê e os efeitos hormonais no relaxamento da musculatura pélvica podem gerar um desconforto para a mãe. “Quando fico muito tempo sentada a Esther se revira na minha barriga que fica dura e desconfortável”, relata Flávia Coelho, grávida de 30 semanas.

Mudar de posição com frequência também é importante para evitar outros incômodos, como inchaço, dores nas pernas e nas costas. 

A obstetra observa que cada sintoma deve ser discutido com o seu obstetra, pois alguns deles incomodam mais para algumas mulheres do que para outras e, em alguns casos, o uso de remédios específicos pode ajudar. “É necessário um bom relacionamento com seu obstetra para que todos os sintomas sejam pontuados e graduados, e então tratados, quando necessário”, diz.

Como tudo acontece

A seguir, listamos as principais reações desconfortáveis do corpo a cada trimestre, além de maneiras eficazes de amenizar o transtorno.

No primeiro trimestre

Azia e enjoos: as alterações hormonais no início da gestação costumam provocar os famosos sintomas da gravidez. O sistema digestório fica mais lento e podemos sentir fortes enjoos e azia. Também é possível que a grávida tenha salivação excessiva, precisando cuspir com frequência.
Como amenizar: coma pequenas quantidades em curtos intervalos de tempo. Líquidos gelados e sucos de frutas cítricas podem ajudar. Algumas mulheres sentem os enjoos logo ao acordarem e isso pode ser melhorado se, antes de se levantar, você já comer alguma coisa, como uma bolacha de água e sal ou um pedaço de maçã que pode ficar no seu criado-mudo. Remédios só são permitidos se receitados por seu obstetra. Esses sintomas costumam desaparecer depois do terceiro mês de gestação.

Sonolência: nosso corpo é sábio e arruma um jeito de poupar energia para que você possa gestar um novo ser – e por isso nos faz ficar mais sonolentas.
Como amenizar: obedeça ao seu organismo e tente fazer algumas pausas programadas para descanso. Esse sono todo costuma passar no segundo trimestre quando, em geral, temos um pico de energia.

Tontura: está relacionada com a diminuição da pressão arterial que ocorre pelo aumento do volume de sangue circulante no corpo.
Como amenizar: não fique muito tempo sem comer e sempre se levante devagar, esteja deitada ou sentada. Ande com alguns lanchinhos na bolsa para comer ao menor sinal de tontura.

Cólicas: o crescimento uterino pode causar algumas cólicas no início da gestação. Se a dor se tornar intensa e acompanhada de sangramentos, é necessário procurar orientação médica.
Como amenizar: repousar, tomar banhos quentes e fazer compressas mornas ajudam a diminuir as dores. Em alguns casos mais intensos, o obstetra pode recomendar algum remédio específico para aliviar o incômodo.

No segundo trimestre

Intestino preso: mais uma vez os hormônios aparecem bagunçando o funcionamento do aparelho digestório. Com o tempo, o peso da barriga e as dificuldades circulatórias também podem atrapalhar a evacuação e causar o aparecimento de hemorroidas.
Como amenizar: controle o ganho de peso e hidrate-se bem. Procure comer alimentos ricos em fibras, como cereais integrais e hortaliças.

Dores nas pernas: o peso da barriga somado ao acúmulo de líquidos dificulta a circulação e pode causar dores bem chatas nas pernas.
Como amenizar: caminhadas e ingestão de água ajudam. O uso de meia elástica e a drenagem linfática feita com liberação médica também costumam ser muito eficientes.

Inchaço: as alterações hormonais e a compressão dos vasos sanguíneos podem provocar inchaços pelo corpo.
Como amenizar: atividades físicas durante a gestação e drenagem linfática após liberação médica diminuem o inchaço. Alimente-se bem, com pouco sal, e tome bastante água.

Coceira na pele: conforme o bebê cresce e vamos ganhando peso, nossa pele se estica e pode surgir uma coceira bastante chata em regiões como a barriga, o bumbum e as mamas. Mas não coce - isso ajudaria a formação das estrias.
Como amenizar: hidrate a pele diariamente e evite banhos muito quentes. Ao hidratar as mamas, deixe de lado as aréolas e os mamilos, que precisam manter apenas sua hidratação natural para evitar fissuras durante a amamentação.

No terceiro trimestre

Dor nas costas: qual a grávida que, no auge do seu barrigão, nunca sentiu uma terrível dor na região lombar? Ela aparece por causa do crescimento da barriga que, aos poucos, vai mudando também a nossa postura, levando a dores bastante chatas nas costas.
Como amenizar: pilates, exercícios de alongamento e massagens costumam ajudar a aliar o desconforto. Aulas de hidroginástica também são muito bem-vindas.

Dificuldade para dormir: também aparece por causa da falta de posição para deitar confortavelmente, pelo fato de a barriga já estar bastante grande.
Como amenizar: procure dormir de lado e utilize muitos travesseiros, inclusive alguns sob a cabeça para facilitar a respiração e outros debaixo da barriga ou entre as pernas dobradas.

Ansiedade: o terceiro trimestre é recheado de fortes emoções e muita ansiedade, já que não vemos a hora do bebê nascer. Também acontece de ficarmos um tanto inseguras sobre os primeiros sinais de trabalho de parto
Como amenizar: procure ler sobre parto para ficar mais tranquila e organize a casa para a chegada do bebê. Vá ao cinema, relaxe e namore. Uma boa massagem, feita por um massoterapeuta especializado em gestantes, costuma ajudar bastante nessa fase.

Desconforto no períneo: ele pode começar no segundo, mas se acentua no terceiro trimestre por conta do hormônio relaxina, que serve para promover a frouxidão da articulação do púbis (para que o bebê possa se encaixar e, durante o parto, passar através dela.) Não se assuste: trata-se apenas do seu corpo trabalhando para prepará-la para o grande dia.
Como amenizar: praticar atividades físicas como o pilates e exercícios para o assoalho pélvico (região muscular do períneo) durante a gestação pode ajudar a prevenir os incômodos. Se tiver dor, faça compressas geladas no local por 15 minutos.

Dor nas articulações: esse desconforto aparece por causa do acúmulo de líquido nas articulações e do hormônio relaxina que as torna mais flexíveis.
Como amenizar: você pode praticar atividades físicas de baixo impacto, como a hidroginástica e o pilates. Não ganhar peso em excesso também ajuda a não sofrer com as alterações nas articulações.

Mas lembre-se que se qualquer um desses sintomas se tornar incômodo demais, o seu obstetra deve ser consultado para avaliar a necessidade e algum tipo de intervenção ou outro cuidado específico.

(Foto: Getty Images)