Disney Baby

O que eu diria para uma mãe de primeira viagem

Por Marina Breithaupt

Os primeiros meses da maternidade para uma mãe de primeira viagem podem ser conturbados

O que eu diria para uma mãe de primeira viagem

Nesta minha terceira viagem pela maternidade fiz uma lista de coisas que eu gostaria de realizar para melhorar nossa qualidade de vida no início dessa nova jornada. Ter um bebê novinho em casa mexe com a vida e rotina da família toda, mas, sem dúvida, é na vida da mãe que ocorrem as maiores mudanças.

Se eu pudesse voltar no tempo, quando fiz essa viagem pela primeira vez, faria algumas coisas diferentes para viver com mais serenidade esse começo.

É o seu caso? Vai ter um bebê em breve ou acabou de se tornar mãe? Então, me permita te contar umas coisinhas:

1. Sua atenção deve estar voltada exclusivamente ao novo ser que acaba de chegar. Vocês precisam se conhecer, se entender. Esse primeiro momento é a base da criação do elo, do vínculo entre vocês, foque nisso... no bebê e na sua relação com o mundo, que agora é também dele.

2. Concentre toda a sua energia na  produção de leite. Confie que é capaz de produzir o melhor leite para ele.

3. Cada mulher tem seu biotipo e o corpo se comporta diferente em cada gestação, portanto não se preocupe tanto com sua aparência e em voltar ao peso de antes da gravidez. O foco deve ser a sua saúde e a do bebê. Dietas não são uma boa opção para quem deseja amamentar.

4. Os afazeres domésticos podem esperar. Deixe a limpeza e organização da casa em segundo plano e se for necessário delegue! Aceitar ajuda nesse momento é muito importante. Não falo de ajuda com o bebê, mas aquela mão amiga que pode se dispor a preparar uma refeição, ajudar com as roupas e uma limpeza básica. Não se culpe por não dar conta de tudo sozinha!

5. Confie em você e no seu instinto materno. Só você fala o idioma do seu bebê! Ninguém no mundo o entende melhor. Acredite nisso e confie! Os outros irão falar, ouça o que eles têm a dizer, mas filtre e aproveite o que serve para você. Quando nasce uma mãe, brotam pitaqueiros de plantão e isso é inevitável. Não se estresse!

6. Aceite o puerpério, esse período faz parte do processo. Não fuja, não negue. Chore se tiver que chorar, não se envergonhe disso. Não é sinal de fraqueza e sim de ser humana.

7. Durma o quanto puder e sempre que possível, pelo tempo que for. Para cuidar de alguém, a gente precisa estar bem e isso quer dizer cuidar da gente. Se respeite. Você tem limites.

8. Bebês choram! É a forma de se comunicarem. Eles ainda estão se adaptando ao mundo aqui fora. Não se desespere com as noites em claro e horários irregulares, o tempo é Rei e faz com que tudo passe, as fases boas e as ruins! Você voltará a dormir, todas as mães voltam - ao menos até a adolescência chegar!

9. O mais importante: aproveite cada minuto desses dias, semanas e meses! Trazer um bebê para casa e acompanhar, auxiliando o dia a dia em sua adaptação, é uma época mágica da vida e que passa muito rápido. As dificuldades de um dia vão perdendo força com os novos desafios de casa fase e o que restará serão boas lembranças de dias intensos e breves. Esse é o mantra da nova mãe: Vai passar!

(Imagem: ShutterStock)

comentarios maternidade, bebê, mãe, pós-parto