Disney Baby

Por que não consigo engravidar?

Alguns problemas podem dificultar a tão sonhada maternidade. Saiba quais são eles

Por que não consigo engravidar?

Todo mês é a mesma angústia: você imagina sua barriguinha crescendo dia a dia, seu bebê em seus braços, planeja a decoração do quarto do pequeno príncipe e mil e outras emoções. E quando faz o exame... negativo! Ainda não foi dessa vez que você será mamãe.

Muitas mulheres conhecem a tristeza e a frustração provocadas pela dificuldade em engravidar. A analista de sistemas Flávia Pedrosa, 32 anos, passou por esse sofrimento durante dois anos, até que resolveu procurar um médico especialista em reprodução humana.

“Depois de uma série de exames, descobrimos que, apesar de não sentir dores ou qualquer outro sintoma, eu tinha uma endometriose mínima, que dificultava a fecundação. Fiz o tratamento e finalmente engravidei da Gabriela, hoje com 6 meses”, conta.

A boa notícia é que, atualmente, são raros os casos em que não se consegue uma solução diante de tentativas intensas e resultados negativos.

“Isso ocorre graças ao desenvolvimento de drogas estimuladores dos ovários; introdução do espermatozoide no interior dos óvulos (ICSI); congelamento (vitrificação de embriões ou de óvulos), permitindo a preservação da fertilidade em jovens e sobreviventes de câncer; exames genéticos nos embriões, possibilitando a exclusão de doenças graves”, conta Joji Ueno, ginecologista responsável pelo setor de Histeroscopia Ambulatorial do Hospital Sírio Libanês e diretor na Clínica Gera.

O primeiro passo, quando há dificuldade para engravidar, é procurar logo o especialista para fazer exames e verificar qual a causa da infertilidade.

“Atualmente a principal motivo é a baixa da quantidade de óvulos, decorrentes de tentativas tardias das mulheres engravidarem. Muitas chegam às clinicas já na menopausa, ou seja, após a última menstruação. Com a idade, além de diminuir a quantidade de óvulos, surgem alterações anatômicas dos órgãos pélvicos femininos, que atrapalham a fecundação”, conta o médico.  

Mas há outros problemas clínicos que podem impedir a gravidez, como você pode conferir abaixo.

(Foto: Getty Images)

1
Endometriose
A doença ocorre quando o endométrio (o tecido que reveste a cavidade uterina) se desenvolve também fora da cavidade, em outras áreas, como no ovário e na pelve. “A distorção da anatomia local ou a produção de certas substâncias podem dificultar a concepção. Mas é importante alertar que a sua gravidade não está diretamente relacionada à infertilidade ou à dor. Algumas mulheres sentem muita dor ou apresentam dificuldade para engravidar, apesar de ter apenas uma endometriose mínima”, conta Joji. Por isso, é essencial realizar os exames de rotina e, ao notar qualquer alteração no ciclo menstrual, procurar o médico.
2
Aderências pélvicas
Infecções durante o processo de cicatrização, endometriose e complicações em cirurgias anteriores podem provocar alterações no tecido, formando traves fibrosas na pelve e, em alguns casos, desencadeando a aglutinação de órgãos localizados na parte baixa do abdômen. “Esta distorção da anatomia local pode acarretar o isolamento dos ovários, impedindo o acesso às tubas, deformidades tubárias e até a oclusão tubária completa, que dificultam a concepção”, explica o ginecologista.
3
Disfunções hormonais
Alterações no funcionamento da hipófise, tireoide ou outros órgãos produtores de hormônios podem dificultar a gravidez. As mulheres que desejam engravidar devem estar atentas à menstruação. Caso o ciclo fique irregular, é recomendável procurar o médico.
4
Alterações tubárias
As tubas servem de caminho para os espermatozoides encontrarem os óvulos e também como uma espécie de “incubadora” aos pré-embriões, durante os primeiros dias após a fertilização. Traumas locais ou infecções podem provocar o acúmulo de líquido na região, comprometendo sua função.
5
Mioma uterino
Trata-se de um tumor benigno localizado na parede uterina, que nem sempre apresenta sintomas ou provoca a dificuldade de concepção. “Porém, se confirmado que o mioma é a causa da infertilidade, deve ser retirado através de cirurgia”, explica Joji.