Disney Baby

Quando o parto acontece antes do tempo ideal

Bebês prematuros, que vêm ao mundo antes das 37 semanas, somam cerca de 10% dos nascimentos e exigem atenção

Quando o parto acontece antes do tempo ideal

“Com apenas 40 dias Gabriel teve bronquiolite e, por ser prematuro, precisou ser sedado e entubado, enquanto o Pedro também permanecia internado para realizar exames”, lembra Priscila Rocha, mãe dos gêmeos que nasceram com 34 semanas de gestação e precisaram ficar 17 dias na UTI neonatal.

Por causa da prematuridade, os bebês tiveram algumas complicações respiratórias - incluindo pneumonia e bronquite - e foi necessário um intenso acompanhamento com pneumologista, além de sessões de fisioterapia respiratória.

Hoje com 2 anos e 2 meses, as crises de bronquite de Pedro e Gabriel já podem ser controladas em casa e as idas e vindas ao pronto-atendimento cessaram.

Assim como os gêmeos de Priscila, cerca de 10,5% dos bebês nascem antes de completarem 37 semanas de gestação, de acordo com pesquisa do Ministério da Saúde, coordenada pela Fiocruz em 2013.

Bebês prematuros precisam de cuidados específicos e, quanto mais cedo nascerem, maiores os riscos e o tempo de UTI que serão necessários para a sua recuperação.

“A partir de 28 semanas de gestação podemos dizer que este feto é compatível com a vida. Nascimentos antes deste tempo vão depender da estrutura para atendimento em uma UTI neonatal que o hospital possui”, explica Julio Elito Jr., professor livre docente do Departamento de Obstetrícia da Unifesp.

Dentro os fatores mais comuns que podem contribuir para um parto prematuro estão: gestação múltipla, diabetes gestacional, hipertensão arterial, infecções, descolamento de placenta, malformação fetal, pré-natal inadequado e o uso de drogas, como o cigarro e o álcool.

Em alguns casos, há a necessidade de se decidir pela interrupção precoce da gravidez, como quando o bebê está com grave restrição de crescimento ou há risco de morte para a mãe.

Após o nascimento prematuro, a mãe precisa ser acolhida, já que não é nada fácil ter que deixar a maternidade sem o bebê nos braços. Essa mulher também precisa ser orientada a estimular a ordenha do leite para que ele seja ofertado ao bebê quando não há a possibilidade de amamentá-lo diretamente no seio. 

Os bancos de leite das maternidades auxiliam as mulheres nesse processo que será tão importante para a vida do recém-nascido. Por isso, peça ajuda ao médico e fale do seu interesse em alimentar seu filho com seu próprio leite.

Outro cuidado que serve para auxiliar a recuperação de prematuros diminuindo seu tempo de UTI é o método Mãe Canguru, que é quando o bebê tem a possibilidade de ter contato pele a pele com sua mãe – e pai também! – ajudando-o a ganhar peso, manter sua temperatura corporal, aumentar o vínculo com os pais e facilitar a amamentação.

Uma criança que nasce prematura pode levar consequências para a sua vida, como dificuldades neurológicas e cegueira - em casos mais extremos - e problemas respiratórios, que são os mais comuns.

Por isso, quando uma gestante entra em trabalho de parto antes de 34 semanas de gestação, ela recebe uma injeção de corticoides que irão ajudar a promover a maturidade do pulmão do bebê para tentar evitar futuros problemas respiratórios.

Mas quem nunca ouviu falar de bebês que nasceram a termo (depois de 37 semanas) com desconforto respiratório e precisaram permanecer um tempo na UTI? Esse quadro costuma acontecer quando cesáreas eletivas são agendadas. Neste sentido, agendar um parto por conveniência pode significar um grande risco para o bebê, já que não sabemos se ele está realmente pronto para o nascimento. O melhor é esperar a gestante entrar em trabalho de parto. 

“A incidência de internações neonatal diminui conforme a cesárea vai sendo realizada mais próxima de 40 semanas de gestação”, explica o especialista.

Além disso, o próprio parto normal favorece o desenvolvimento do bebê, já que todo o processo de nascimento vai contribuir para expelir o líquido dos pulmões. O início do trabalho de parto significa que o bebê já começou a produzir surfactante, um líquido que atua nos alvéolos para permitir a respiração.

(Foto: Getty Images)

comentarios prematuro, bebê, filho, parto