Disney Baby

Sentimentos do pós parto

Por Marina Breithaupt

O período após o nascimento do bebê, também conhecido como puerpério, é uma época muito desafiadora na vida da mulher. Eu já passei por isso e te digo: tudo passa!

Sentimentos do pós parto

Não se trata de fazer terrorismo - como muita gente acha -, mas não romantizar a vida depois da chegada do bebê é algo que precisa ser feito com mais frequência.

Não é que não tenha um lado lindo receber um filho nos braços, gerar uma vida... não importa, começar uma família é sempre mágico! Mas, como tudo na vida, tudo tem muitas faces.

Vai ter muita alegria, muitas descobertas, muitas novidades e, acima de tudo, muito amor envolvido nesse período. É um sentimento absolutamente único e inesquecível.

Me recuso a focar somente nas dificuldades, no entanto, preciso dizer que elas existem e no início parecem ser mais pesadas do que realmente são. Com o tempo, tudo vai ficar mais fácil!

Tem muita novidade e nem sempre são boas. O cansaço bate, os hormônios demoram a voltar para seus devidos lugares, e muitas vezes demoramos a entender o novo serzinho que temos nos braços.

Amamentar nem sempre é como nas novelas, o choro do bebê tem um poder muito perturbador sobre nós, principalmente depois de noites que estamos sem dormir direito. Olha, tem uma lista enorme de dificuldades!

Manter as coisas em casa pode ser muito complicado e a nossa rotina vira de cabeça para baixo.

Apesar de parecer muito difícil acredito que há maneiras para passar por esse período com um pouco mais de tranquilidade e, o principal, nos fazendo dar atenção ao que realmente importa, que é a benção de uma nova vida.

Para que isso ocorra acho que é necessário saber o que está por vir, não se iludir com a ideia romântica da maternidade e se preparar para isso.

Dicas simples como deixar refeições congeladas antes dos nascimento, por exemplo, facilitam muito a rotina nos dias que virão.

Saber que ter paciência será seu novo objetivo na vida, não só para com o bebê, mas com tudo que não podemos controlar na vida. Aliás, tenha em mente que não precisamos dar conta de tudo e delegar é algo que devemos praticar pelo bem da família toda e do bebê. Não tem nada de errado em pedir ajuda quando se pode, então se prepare para receber muitas mãos e não encane com perfeição.

Aqui sempre brinquei dizendo que o que importa é que o bebê esteja limpo, trocado e alimentado, se conseguimos isso, o dia foi um sucesso. Não importa como foi feito, quem fez e se ficou da maneira que eu faria.

Ouça o seu corpo e tenha seu próprio compasso. Não se sinta pressionada por padrões ou porque uma amiga já voltou a forma ou a rotina de cuidados com ela após o nascimento do bebê. Você ainda não consegue sair do pijama? Ok! Cada mãe tem seu tempo e não há certo ou errado.

A felicidade é um caminho e não dá para esperar o bebê crescer para voltarmos a fazer tudo, portanto, não é preciso se cobrar, mas também não é bom se colocar em segundo plano sempre. Busque pouco a pouco o seu tempo e o que te faz feliz! Faça coisas por você, como mulher, porque mães felizes criam filhos felizes!

Um beijo,

(Imagem: Shutterstock)