Disney Baby

Uma nova ordem: mães magras em tempo recorde

Cada vez mais, famosas se mostram em forma poucas semanas depois de serem mães. Quanto faltará para que exijam o mesmo de nós?

Uma nova ordem: mães magras em tempo recorde

Eu tive minha primeira filha há quase uma década. Por sugestão da obstetra, consultei uma nutricionista para adotar uma alimentação balanceada durante a gravidez e compensar a minha anemia sempre presente.

E, também, para que não engordasse mais do que os quilos recomendados, por causa do risco que um aumento de peso pode trazer ao bebê.

Nos meses de gravidez, acreditamos que está tudo permitido e eu desenvolvi, a partir do teste positivo, um vício por ravióli de ricota. Eu poderia almoçar e jantar (e tomar café da manhã e lanche) com raviólis de ricota.

Numa consulta, em que a balança me denunciou, a médica foi firme e mostrou sua arma: "Cuide-se porque, se aumentar muito de peso, assim que o bebê nascer estará tudo bem, mas aos três meses, você vai se ver gorda e horrível".

Ela me deu um pouco mais de tempo, do período pós-parto até o momento em que o espelho me devolveria uma visão implacável. Menos mal que minha filha nasceu há uma década.

O que me diria a médica hoje? Qual seria o seu prazo para voltar a ter um corpo "normal"?

Antes, nós mulheres tínhamos nosso tempo para voltar a nos preocuparmos com o nosso corpo. No meu caso, eu não me cuidei muito depois que os filhos nasceram, mas devo admitir que a amamentação faz você perder peso. Mas naquela época podíamos retomar nossas rotinas físicas devagar e, aos poucos, voltávamos a colocar tudo no lugar.

Mas as famosas, que trabalham com suas imagens, talvez aceleraram o processo um pouco. O fato de ser mãe há pouco tempo permitia antigamente que elas aparecessem em um evento com alguns quilos a mais, sem que as revistas de celebridade caíssem sobre elas.

Porém, isso mudou. E elas agora não só voltam ao trabalho cada vez mais rápido, como também retornam como se o filho não tivesse nascido. Ou, melhor dizendo, como se nunca tivessem engravidado.

São exemplos de uma nova ordem, uma mais que se soma às mulheres: o das recém-mães lindas e magras. Uma das últimas foi a supermodelo russa Elena Perminova, de 28 anos, que no final de janeiro publicou fotos nuas em sua conta do Instagram dois meses após ter dado à luz seu terceiro filho.

Não é a única: à lista de estrelas que voltaram à rotina magérrimas em tempo recorde se somam Heidi Klum, Jennifer Lopez, Luisana Lopilato, Camila Alves e Reese Witherspoon, entre muitas outras.

Sequer temos essa permissão da gravidez mais. Não só temos que nos adaptar à nossa revolução hormonal e à revolução que significa ter um bebê em casa, mas também temos de voltar em semanas à nossa figura de antes. Isso é unicamente para as estrelas da TV, me dirão vocês.

Mas não: a maioria dos centros de beleza, desde os de bairro, onde vamos nós, as mulheres comuns, aos de Beverly Hills, frequentados pelas celebridades, oferecem planos pós-parto. É errado querermos nos cuidar e nos vermos bem? Não, não mesmo.

O que está errado é correr atrás de uma exigência temporal que não nos beneficia em nada e nos faz perder o eixo da importância desses primeiros meses, que é a conexão com o nosso bebê.

Por isso, preocupo-me com essa regra de recém-mãe magra, porque soa como essas regras e modismos que começam em grupo muito pequeno e depois se expandem perigosamente entre todas as mulheres. Não deixemos que nos convençam de que tem que ser assim.

Encerro com as palavras que Jessica Wimer usou em sua conta do Flickr para acompanhar a foto que ilustra este post. Mulher comum e mãe trabalhadora como a maioria de nós, Jessica mostrou duas fotos dela e de sua barriga 1 semana depois de ter seu bebê.

"Eu não sou uma supermodelo, mas eu estou tão orgulhosa de como meu corpo está. Penso que estou muito bem. Eu tenho um longo caminho pela frente, mas estou encantada com o que meu corpo é capaz de fazer".

Por Adriana Santagati

(Foto: Flickr/ Jessica Wimer)