Disney Baby

Uma técnica que não falha para fazer seu bebê dormir

Vou ensinar uma técnica muito simples que funcionou com meus quatro filhos. Com um pouco de paciência e deixando a culpa de lado por alguns dias, seus filhos dormirão em seus quartos e vocês vão recuperar seus espaços

Uma técnica que não falha para fazer seu bebê dormir

Depois de muitos anos sendo mãe e de ensaiar diferentes técnicas para educar os bons hábitos em meus filhos, decidi escrever sobre elas em um blog de maternidade diferente dos que lia habitualmente.

Quando me dei conta que as consultas sobre estas técnicas se multiplicaram, entendi que havia muitas mães que precisavam falar com outras mães para se assegurarem que realmente valeria a pena tentar algo diferente.

Uma das perguntas mais frequentes entre as mães continua sendo como educar o sono de seus filhos para poder, elas também, dormirem toda a noite, sem sobressaltos.

Compartilho com vocês minha técnica, aplicada em quatro filhos com excelentes resultados. Uma só advertência: armar-se de paciência e deixar a culpa de lado por uns dias.

Para que as crianças durmam em suas camas ou berços, o primeiro que tem a fazer é tomar a decisão e estar certa de poder sustentá-la com força e constância durante alguns dias.

Uma vez disposta, é preciso criar uma rotina: banho, comida, quarto, canção, história ou o que o faça para ajudá-las a dormir, sempre no lugar onde as crianças tenham sua cama ou seu berço.

Devem acostumar-se ao espaço delas. Se até este momento era no quarto dos pais que dormiam, tem que lhes mostrar que não será mais assim, mas sem que percebam nossas dúvidas ou sofrimentos a respeito disso (geralmente nós, mamães, nos sentimos mal porque acreditamos que estamos sendo injustas por não deixá-las dormir em nossa cama).

Devemos chegar felizes ao quarto do bebê, explicando-lhe que é seu espaço e que sempre estaremos por perto. Temos que deitá-lo e permanecer algum tempinho enquanto falamos, cantamos ou lhes contamos uma história.

Depois, é necessário nos despedirmos dele com um beijo e uma palavra de amor e nos retirarmos do quarto, deixando-os que se disponha a dormir ou até que durma.

A parte difícil começará, sem dúvidas, alguns minutos depois, já que acostumamos nossos bebês que sempre estaremos por perto e, muitas vezes, eles não entenderão porque estamos deixando-os sozinhos.

E é justamente isso que temos que mostrar a eles: que não os deixamos sozinhos. A confiança se constroi.

Quando eles chamarem, temos que esperar ao menos um minuto antes de voltar a entrar no quarto, acariciá-los, acalmá-los, confortá-los, mas sempre em suas camas ou berços, antes de voltarmos a sair.

Devemos repetir isso tantas vezes forem necessárias na primeira noite. Certamente não podemos levar em conta a quantidade de vezes que eles vão chamar, mas isso é preciso - e finalmente o bebê dormirá.

Nas noites seguintes, temos que repetir esta técnica. Vamos começar a ver que, cada vez mais, o intervalo entre os chamados será maior. Sempre teremos que atendê-los, vê-los e confortá-los, esperando ao menos uns minutos para que comecem a confiar que sempre estaremos ali para eles.

Depois de algumas noites, o bebê já terá compreendido que dormir é isso: é seu quarto, é sua cama, é sua história e também é sua mãe do outro lado da porta, disposta a vir a cada vez que ele acordar.

Todas as crianças aprendem a dormir em suas camas. É uma técnica que funciona sempre com os filhos. Muitas vezes custa mais às mães colocá-la em prática porque elas têm diferentes sentimentos em relação a isso.

Uma vez que decidimos que já não podemos dormir com os bebês é um bom momento para que eles durmam sozinhos. Só temos que ser fortes.

Os hábitos são uma repetição de exercícios. As crianças precisam ter seus hábitos e os pais, recuperar seus espaços.

Por Gabriela Tomassoni