Disney Baby

Você sabia que os bebês podem precisar de óculos já nos primeiros meses de vida?

Para checar se está tudo bem com a saúde ocular, os cuidados começam com o pequeno na barriga e o teste do olhinho deve ser feito ainda na maternidade

Você sabia que os bebês podem precisar de óculos já nos primeiros meses de vida?

Você sabia que o bebê já deve passar em consulta com um oftalmologista entre 4 e 8 meses de idade? Isso porque, nessa idade, é possível prevenir e identificar problemas que possam afetar o desenvolvimento visual do recém-nascido, como micro-organismos do canal do parto, catarata congênita e alterações da retina. 

Porém, os cuidados com os olhos do bebê começam antes disso, quando ele ainda está na barriga. O ácido fólico e as vitaminas do complexo B no geral receitadas pelo médico, por exemplo, ajudam na formação do sistema nervoso, que inclui os olhos.

Além disso, assim que o bebê nasce, é pingado o colírio de Nitrato de Prata para exterminar micro-organismos do canal vaginal que podem prejudicar a saúde ocular. Ainda na maternidade, o bebê deve ser submetido ao teste do olhinho (teste do reflexo vermelho) que consegue detectar alterações, como catarata ou problemas retinianos.

A visão do bebê

Fabio Pimenta de Moraes, especialista em oftalmopediatria do H.Olhos – Hospital de Olhos Paulista, explica que, durante o primeiro mês, o bebê não vai responder com grande importância aos estímulos visuais, mas deve responder à luz intensa fechando os olhos para se proteger.

Com o crescimento, os pais podem suspeitar de algum problema visual caso percebam que os bebês não se interessem por luz, não fixem na luz ou nos rostos deles, e não sigam objetos apresentados em sua frente.

“Em alguns casos podem ocorrer alterações perceptíveis, como desvios oculares constantes e até nistagmo – movimento anormal dos olhos e tremor constante”, explica Moraes.

As alterações oculares normalmente têm influência do código genético de cada pessoa. Portanto, bebês de pais com alterações oculares têm mais chances de desenvolver algum problema. Embora, também possam ser perfeitamente normais.

“Por esta razão se faz necessária a consulta ao oftalmologista entre 4 e 8 meses de vida, com retornos regulares, seguindo a orientação do profissional”, diz o especialista.

Doenças mais comuns até 2 anos

Segundo Fabio Moraes, alguns bebês podem apresentar uma obstrução das vias lacrimais, imprescindível para a drenagem da lágrima, o que provoca lágrimas e secreção excessiva. “Esse quadro normalmente se resolve sozinho até um ano de idade, mas requer a atenção de um especialista. Também são comuns conjuntivites autolimitadas, com sintomas de vermelhidão e secreção”, afirma Moraes.

Outras alterações que podem ser percebidas no decorrer do desenvolvimento ou em consultas de rotina são os erros de refração (graus de óculos) e estrabismo, que devem ser tratados corretamente pelo oftalmologista especialista, sem prejuízos futuros para a criança.

“Os óculos podem ser necessários já em bebês nos primeiros meses de vida, mas sempre prescritos por um oftalmologista conforme a necessidade”, explica o oftalmologista.

Já as lentes de contato requerem muitos cuidados, principalmente no manuseio. O mau uso pode causar problemas graves, como infecções. “Recomendamos que as lentes de contato sejam usadas por adolescentes após os 13 anos, ou que seja observada a maturidade para assumir responsabilidades e cuidados de higiene suficientes”, esclarece Moraes.

(Foto: Getty Images)