Ecologia e Meio Ambiente

Bichinhos X apartamentos: qual a melhor opção?

Cão, gato, pássaro... As possibilidades são muitas, mas é preciso pensar duas vezes antes de sair atrás de qualquer animal quando se mora em espaços limitados

Bichinhos X apartamentos: qual a melhor opção?

Morar em apartamentos tem algumas vantagens: segurança, conforto, preço e tamanhos são algumas delas. Porém, quando o assunto é animal de estimação, o negócio fica sério: como escolher a melhor opção para você, de acordo com o tamanho do local, e para os vizinhos? Afinal, ninguém quer incomodar os outros, certo?

Ao falarmos em opções de bichinhos para espaços pequenos, logo pensamos em cães e gatos. Pois saiba que eles não são as únicas opções, não.

“De cara, recomendo a chinchila. É um animal muito dócil, que vive em ambientes pequenos e não faz muita sujeira. Porém, você precisa ter um cuidado na hora de banhar (elas não gostam muito de água) e com o barulho. Quanto mais calmo o ambiente, melhor”, diz a veterinária Cínthia Rodrigues.

“O furão também é uma opção – eles são bem carinhosos. Se você quer um bichinho menor, pode escolher um hamster. Eles são muito fofos, vivem na gaiola e não fazem sujeira alguma. O melhor é que dá para brincar bastante com eles – mas é preciso cuidado extra, caso queira deixá-los soltos pela casa”, afirma. Cínthia acrescenta que peixes, pássaros e até tartarugas também podem ser considerados.

Mas antes de escolher o animal ideal para o seu apartamento, você precisa considerar o tamanho do bicho e o do espaço que ele vai ter para brincar. Caso opte por um cão de grande porte, por exemplo, é preciso saber que terá de levá-lo para passear todos os dias – caso contrário, o animal pode se sentir preso e acabar tendo até alguns problemas de saúde, devido à falta de movimentos.

O "melhor amigo do homem" é sempre uma das primeiras opções, mas vale lembrar que mesmo os pequenos precisam de companhia, atenção e espaço. “O beagle, por exemplo, é um cão pequeno, mas muito hiperativo. Por isso, não dá para deixar o animalzinho preso dentro de um apartamento por muito tempo”, observa Cínthia.

Entre as raças de cães que melhor se adaptam a um apartamento estão:

  • Poodle: conhecido pela sua inteligência e carinho, se adapta facilmente a apartamentos pequenos.
  • Yorkshire: é um pouco hiperativo e precisa praticar exercícios. Leve-o para caminhar duas vezes ao dia para gastar um pouco de sua energia.
  • Schnauzer: cão de porte médio, é uma boa opção para quem quiser sair do óbvio – no caso, poodle e yorkshire.
  • Pinscher: conhecido por ser ótima companhia, é uma boa escolha para apartamentos com crianças.
  • Pug: o cachorro da moda pode parecer um pouco agitado demais quando filhote, porém, ao chegar à vida adulta, se acalma.
  • Buldogue francês: só escolha essa raça caso você tenha muito tempo disponível para ficar com o bichinho. Trata-se de um cão carente e pode até adoecer se ficar muito tempo longe dos donos.

 

Caso um cachorro não seja uma boa opção, os gatos são uma ótima pedida para manter em apartamentos. Dóceis e independentes, passam uma boa parte do tempo dormindo e não precisam de tanta atenção quanto os cachorros.  

Mantendo a vida (deles) mais gostosa!

Depois de escolher o animal, é preciso, claro, cuidar. Para os animais que não vivem em gaiolas, é necessário reservar um espaço fixo do apartamento para as necessidades.

O ideal é que seja um local que não incomode as pessoas da casa – como área de serviço ou banheiro. Ali, é necessário colocar um jornal ou fralda higiênica, que ajuda a reduzir odores.

Um passeio também vai bem. Como o apartamento possui espaço limitado, estabeleça horários para passear com o animalzinho. Aí vale incluir a família toda: a cada dia da semana, um é o responsável por dar uma volta com o pet.

O passeio pode durar de 5 a 30 minutos. “O tempo é relativo. Quanto mais, melhor, é claro. Mas não pode se esquecer de levar água e sacos para recolher as necessidades que o animal fizer na rua”, lembra Cínthia.

O sedentarismo e o estresse são pontos que valem prestar atenção. Pelo tamanho do espaço, o animal pode desenvolver comportamentos destrutivos e, em certos casos, apresentar depressão. Por isso, a atividade física, mesmo que pouca, é importante.

Para ajudar a resolver o problema de espaço, torne o ambiente atrativo ao bichinho. Ossinhos, mordedores e brinquedos podem ser espalhados pelo local para os cachorros. Para os gatos, invista em arranhadores e móveis que instigam a exploração.

A hora da escolha!

Agora que você já sabe as opções de bichinhos para o seu apartamento, chegou a hora de escolher qual será seu parceiro. “Eu li várias matérias sobre o assunto antes de escolher um animal para minha casa. Logo depois que me casei, a gente quis um cachorro”, conta Luana Lacerda.

“Eu sempre quis ter um cachorro, mas eu sabia que não seria fácil mantê-lo, pois trabalho o dia todo e não queria que ele passasse o tempo inteiro sozinho”, diz.

Mesmo com a questão, ela optou por comprar um pug, que já tem quase um ano de idade. “Ele é a maior alegria da casa. Todo dia, a gente chega e ele fica nos esperando. Quando a gente viaja, o deixamos com algum familiar. É fácil de cuidar e ele não é tão carente, então se acostuma logo na casa da minha mãe”, exemplifica.

Felipe, o marido de Luana, também adorou a escolha. “Conversamos bastante, mas não tinha como. Quando o vimos, sabíamos que seria ele. É companheiro mesmo. A Luana trabalha muito e eu fico em casa sozinho com ele. A gente vê futebol, faz churrasco... Tudo com o cachorro lá”, diz, rindo.

Gostou? A blogueira Karen Bachini também compartilhou sua experiência com um pug no apartamento em que mora.

(Foto: Getty Images)