Ecologia e Meio Ambiente

Para onde vai o lixo dos estádios de futebol?

Por Samantha Shiraishi
@maecomfilhos

Moro em São Paulo, onde o torneio começa no dia 12 de junho, e visitei uma das cooperativas que promete atender (pelo menos) as 12 cidades onde os jogos acontecem

Para onde vai o lixo dos estádios de futebol?

Em uma semana começa oficialmente a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014™ e nas cidades-sede do megaevento esportivo um assunto pesa mais do que a escalação da Seleção ou as folgas nos dias de jogos do Brasil. A chegada de turistas deixa muita gente ansiosa - feliz, estressada, animada - e é mesmo impossível ficar indiferente quando somos nós os anfitriões.

Moro em São Paulo, onde o torneio começa no dia 12 de junho. Nas duas últimas semanas passei por Curitiba e Brasília, outras duas cidades que receberão equipes para o mundial e o aumento de gente por todo lado me assustou. Com as pessoas, aumentam muitas demandas, de serviços e produtos, e, por consequência, de lixo!

Isso mesmo! Se já é complicado a gente pensar no que será o trânsito nos dias de jogos, em como os aeroportos ficarão, avaliem como vai ser a demanda depois das partidas, dos churrascos com amigos, das festas para ver os jogos e tudo mais!

Felizmente nestes dias eu também pude averiguar in loco que tem gente pensando nesse tema há muitos meses e uma estrutura legal está pronta para atender (pelo menos) as 12 cidades onde os jogos acontecem.

Visitei a Cooperativa Polo Cooperleste, que fica perto do Parque do Carmo, na Zona Leste de São Paulo. Esse espaço, reinaugurado no final de maio, é um dos legados invisíveis e sustentáveis da Copa e é apenas um dos 12 projetos que foram implantados numa parceria público-privada nas cidades sede.

Cada cooperativa receberá o lixo reciclável de um dos estádios da Copa, garantindo que os materiais sejam diretamente destinados à reciclagem, evitando que poluam o meio ambiente e, ao mesmo tempo, que os profissionais que trabalham com reciclagem precisem correr riscos nas ruas catando o material. Isso porque cooperativas estão estruturadas nas cidades-sede em espaços que permitem triplicar o volume reciclado, garantindo também aumento na renda dos trabalhadores e mais dignidade e segurança no trabalho.

Se tem um legado que todos queremos desse megaevento esportivo, é o mesmo que esperávamos da ECO92 e da Rio+20: uma mudança de comportamento que garanta um futuro melhor para nossos filhos. E queremos que governo e empresas façam o que nós já fazemos em casa com nossas atitudes sustentáveis, coisas simples mas concretas, como usar a tecnologia em prol do meio ambiente e garantir o cuidado com o planeta em cada ação.

Nem tudo precisa ser sério neste dia do meio ambiente: aproveite a lista dos 12 filmes infantis que ensinam a cuidar do meio ambiente, estimule as crianças com o Caderno de Atividades do Amigo do Meio Ambiente e, para os maiores, vale ver os documentários da Disney que estimulam o cuidado com o planeta.

(Foto: Carol Coelho/Inovafoto)