Ecologia e Meio Ambiente

Uma árvore para chamar de sua

Coletivos que revitalizam espaços verdes urbanos estão ganhando força. Confira algumas dicas para levar essa tendência para a sua vizinhança

Uma árvore para chamar de sua

Está chegando a época mais bonita e florida do ano. A celebração começa já em 21 de setembro, Dia da Árvore, e continua Primavera adentro a partir do dia 23.

Esse período supergostoso, em que os dias vão começar a ficar mais longos e as ruas, mais coloridas, nos inspira a curtir o ar livre e a lembrar a importância de se preservar o verde também dentro da cidade.

E se você acha que não pode fazer nada só porque mora em apartamento ou em uma casa sem jardim e quintal, está muito enganada. Nos últimos anos, movimentos coletivos de restauração de espaços verdes vêm ganhando força em muitos locais.

“Quando as pessoas cuidam das suas cidades, seja fazendo o plantio de uma árvore, seja mantendo um jardim de uma praça bonito, elas se sentem parte desta cidade. Esse sentimento muda o jeito que todos se relacionam, tanto com seus vizinhos, como com os governantes”, avalia Juliana Gatti, fundadora do Instituto Árvores Vivas.

A manutenção dos espaços verdes é fundamental para a qualidade de vida nos centros urbanos. “As árvores refrescam a temperatura do ambiente ao seu redor, mantêm a umidade do seu entorno e possibilitam a absorção da água pelo solo”, explica o professor de Ciências Biológicas, Mauro Breviglieri Fonseca.

Na prática, isso quer dizer viver em uma cidade mais fresca, úmida e com menos enchentes. E quem é que não quer morar em um lugar assim?

Faça sua parte!

Existe alguma praça abandonada perto da sua casa? Que tal juntar a vizinhança e criar um mutirão para revitalizar aquele espaço? Juliana garante que essa ação pode ser mais fácil do que você imagina.

“As pessoas podem juntar um grupo de amigos para cuidar dessas praças e pensar o que o lugar precisa para ficar melhor. É possível criar uma horta ou mesmo plantar árvores frutíferas para atrair mais aves. É só ir cuidar, de tempos em tempos, do crescimento e da rega das espécies plantadas”, explica. Um exemplo dessa parceria entre vizinhos é a Horta das Corujas, em São Paulo.

Animou-se com a ideia? Confira algumas dicas para adotar uma praça, árvore ou jardim perto da sua casa:

 

  • Procure a subprefeitura do seu bairro ou Secretaria do Verde e do Meio Ambiente.  Elas podem ajudar com parcerias e concessão de mudas.
  • Escolha o espaço que irá adotar. Grandes jardins e praças chamam mais atenção, mas também dão mais trabalho. Se você quer começar com algo mais básico, escolha um canteiro ou plante uma árvore perto da sua casa. “As árvores para as cidades devem levar em conta o tamanho quando adulta, o tipo de raiz e se é uma espécie nativa do bioma da região”, pondera Juliana.
  • Decida que ação irá tomar. Criar um jardim florido? Uma horta? Um canteiro de árvores? Avalie qual solução é mais adequada para o espaço escolhido (levando em conta, por exemplo, que hortas cabem em qualquer lugar, mas árvores precisam de espaço em cima e embaixo da terra para os galhos e raízes). Em São Paulo, a prefeitura disponibiliza cursos de jardinagem e o Festival Cultivar estimula o plantio de árvores.
  • Chame amigos para participar. Você não precisa assumir todo o trabalho sozinha: todo mundo quer uma vizinhança mais bonita. Uma boa ideia é criar uma festa para marcar o início da revitalização do espaço escolhido. Suco e bolo para abastacer os participantes, atividades na terra que envolvam todo mundo, dos adultos à criançada, e pronto! Você tem a garantia de uma tarde divertida.
  • Crie uma rotina de cuidados do espaço. Planta precisa de água, fertilização e atenção. Todo mundo pode ajudar, mas é muito importante que exista uma pessoa responsável por organizar o calendário de revezamento dos cuidados, para que a área não fique largada ou descuidada. Seja para jardim, horta ou árvore, a manutenção é superimportante!
  • Faça uma pesquisa das espécies mais adequadas à área. Na hora de escolher as mudas ou vegetais que serão cultivados, é importante se informar sobre quais gêneros são mais indicados para as condições de temperatura e umidade da região.

 

(Foto: Getty Images)