Educação e Desenvolvimento

Brinquedo certo para meninas e para meninos

Por Helena e Joana Cardoso

Existe isso ainda? Quais são as consequências?

Brinquedo certo para meninas e para meninos

É comum vermos nas lojas brinquedos classificados de acordo com gênero. As próprias vendedoras, inclusive, costumam perguntar para qual idade estamos procurando o presente e se é para menino ou menina.

Esse tipo de categorização - é importante esclarecer - é algo construído pela sociedade, e não está associado a uma real afinidade das crianças.

É claro que, tendo sidas inseridas desde cedo em uma cultura em que meninas gostam de rosa e meninos de azul, as crianças tenderão a escolher a cor específica, porém, mais por um aprendizado social e não por um desejo inato.

O brincar é um ato essencial na infância para estimular e desenvolver determinadas aptidões. A categorização, no qual induzimos cada gênero a usar sempre determinado tipo de brinquedo, restringe esse desenvolvimento.

O resultado é que meninas e meninos estimulam, de forma padronizada, sempre as mesmas habilidades.

Portanto, como é esperado que meninas brinquem de boneca, temos muitas mulheres com essa habilidade desenvolvida, tornando-se cuidadoras. Prova disso é a prevalência do sexo feminino em faculdades como enfermagem, pedagogia e psicologia.

O mesmo acontece com os meninos, que têm o raciocínio lógico muito estimulado e, quando adultos, são a grande maioria nas faculdades de engenharia e economia.

É preciso tomar cuidado com esse tipo de categorização que, apesar de se dar na infância, tem como conquência marcas importantes na vida adulta.

Por Helena Cardoso

(Foto: Morguefile)