Educação e Desenvolvimento

Crianças e quadrinhos: um exercício de autonomia

Por Paula Rizzo

A delícia que é ver seu filho lendo sozinho

Crianças e quadrinhos: um exercício de autonomia

As histórias em quadrinhos são excelentes para construir a competência de leitura das crianças e, também, desenvolver a autonomia. Observamos isso aqui em casa com muita clareza.

Sempre lemos muitas histórias para as meninas. Temos o hábito de ler todas as noites, às vezes mais de uma história. Mas agora, aos 7 anos, a nossa filha mais velha tem experimentado o prazer da leitura autônoma, que começou com os gibis.

Talvez seja uma forma dela tentar preservar o espaço da leitura de livros com os pais. Ou, quem sabe, tenha sido atraída pelo formato dos quadrinhos e pela ideia de que este pode ser um território só seu. Difícil saber ao certo qual foi o gancho, mas que é uma delícia ver a criança lendo sozinha, ah, isso é!

Do nosso lado, fizemos nossa parte. A ajudamos a fazer uma seleção bacana de quadrinhos, apresentamos os que eram da nossa época e a deixamos escolher também, dentro de critérios que nós estabelecemos juntos.

De todo modo, sentimos que mesmo em famílias que não têm o hábito da leitura, o gibi pode ser um bom estímulo para as crianças.

O formato, a brevidade das histórias, a riqueza das ilustrações ajudam os leitores mirins a se envolverem com as histórias, podendo ajudar a consolidar um hábito de leitura. A experiência de folhear as páginas da revistinha ajuda também a criar o gosto pelo livro impresso.

Penso que vale a pena investir neste tipo de leitura. Seja levando as crianças em gibitecas ou bibliotecas que têm acervo de gibis, seja comprando na banca e trocando com os amigos.

O saber esperar pelo próximo número, entender que pode trocar e não precisa ter todos os exemplares são exercícios muito interessantes e educativos também.

(Foto: Arquivo pessoal)