Educação e Desenvolvimento

Passeios que valem uma aula de biologia

Mais que sair de casa, o lazer em família pode render muito aprendizado e conhecimento para as crianças

Passeios que valem uma aula de biologia

O estudo da vida. É o que quer dizer a palavra biologia. Por isso, para aprender mais sobre essa ciência, nada melhor que complementar o ensino da sala de aula com a vivência pertinho da natureza.

O bom é que existem diversos destinos para enriquecer o conhecimento de crianças e adultos que podem ser perfeitos para um fim de semana ou uma viagem mais longa com toda a família.

Apresentar a natureza aos pequenos também é uma forma de criar neles, desde cedo, uma conscientização da importância de mantê-la viva, preservada e protegida.

Confira alguns roteiros perfeitos para quem quer aproveitar momentos de descontração e aprender um pouco mais sobre a fauna e a flora do Brasil.

Museu da Amazônia (Manaus – Amazonas)

Inaugurado em 2009, o Museu da Amazônia, conhecido como Musa, fica dentro da Reserva Florestal Adolpho Ducke, uma área de floresta nativa. Ali, há trilhas guiadas nas quais os visitantes podem conferir a diversidade das espécies da floresta amazônica (foto acima). O Musa também mantém exposições, aquários e uma torre de observação de 40 metros de altura – alegria das crianças.

Projeto Tamar (Praia do Forte – Bahia)

Projeto Tamar

O projeto Tamar está em mais de 20 cidades do Brasil preservando as tartarugas marinhas. A biodiversidade local, a beleza natural e a riqueza histórica e cultural fazem com que o centro da Praia do Forte seja o mais frequentado do país, atendendo a cerca de 600 mil pessoas por ano, entre membros da comunidade, estudantes, pesquisadores e turistas brasileiros e estrangeiros. Há visitas programadas para escolas, universidades e grupos organizados, com duração aproximada de 1h30. A blogueira Priscilla Perlatti contou a experiência com as filhas na unidade de Florianópolis

Estação Biologia (São Paulo - São Paulo)

Durante o passeio, os visitantes podem fazer visitas monitoradas sobre diversos temas. Biodiversidade, interações entre os seres vivos e conscientização sobre o lixo são tópicos abordados pelos monitores do espaço. São os próprios alunos do Instituto de Biociências da Universidade de São Paulo (USP) que explicam detalhes sobre o herbário, o laboratório de abelhas ou a reserva florestal que existem no local. É programa perfeito para todas as idades.

Parque Nacional da Tijuca (Rio de Janeiro – Rio de Janeiro)

Com quase 4 mil hectares, o parque atrai visitantes de todo o País. Ali, eles percorrem trilhas para observar espécies nativas da Mata Atlântica. A chamada Trilha dos Estudantes, como o nome sugere, é tradicionalmente usada para visitas escolares. O percurso apresenta placas explicativas e informações sobre a flora, fauna e importância do parque para a cidade.

Usina Hidrelétrica de Itaipu (Foz do Iguaçu – Paraná)

Iataipu

Na fronteira entre o Brasil e o Paraguai, abastecendo os dois países, a maior usina do mundo começou a ser construída em meados dos anos 70 e até hoje, pela sua extensão e imponência, atrai turistas do mundo todo. Desde que foi aberta à visitação, a hidrelétrica recebeu mais de 16 milhões de turistas. O Complexo Turístico Itaipu oferece opções de visitas pelas áreas internas e externas da usina. Uma das opções é o passeio em ônibus (visita panorâmica), que percorre toda a extensão da hidrelétrica, passando pelos mirantes, onde um monitor explica o funcionamento da usina, e pelo Porto Kattamaran, com vista para o lago de Itaipu.

Bonito (Mato Grosso do Sul)

Bonito

Como não pensar na região do Pantanal quando se fala em biodiversidade? A cidade de Bonito recebe grupos de turismo pedagógico há tempos. No entanto, há uma limitação de idade para algumas atrações. Certos passeios são livres apenas para crianças a partir de 5 anos e outros, dos 7 anos em diante. Os grupos visitam as grutas de São Miguel e São Mateus, que têm uma grande riqueza natural. Há opção de flutuação nos rios da Prata ou Sucuri. Os pacotes diários “day use” levam os turistas para descobrirem mais a fundo a beleza do local e oferecem a chance de se desvendar as espécies da fauna local.

Museu Botânico (Curitiba – Paraná)

Abrigado no famoso Jardim Botânico de Curitiba, tem um extenso acervo de plantas tratadas para coleção, as exsicatas. Espécies nacionais e estrangeiras podem ser observadas junto com amostras de madeira e frutos. O espaço promove diversas atividades de educação ambiental. Para completar o passeio, os visitantes podem conferir a estufa do jardim, que também possui uma grande diversidade de plantas.

Parque Ecológico do Córrego Grande (Florianópolis – Santa Catarina)

Na região central de Florianópolis, a grande atração são as trilhas interpretativas. Em meio à mata nativa, placas explicam e identificam cerca de 100 espécies de árvores. Além disso, os visitantes podem conferir um viveiro e uma estufa que são utilizados para a pesquisa e cultura de mudas nativas pela Fundação Municipal do Meio Ambiente – Floram. No local também há monitores que dão detalhes sobre o trabalho feito, fortalecendo a conscientização sobre a importância da diversidade biológica.

(Fotos: Musa - Vanessa Gama e Rubanaldo Ferreira/ Divulgação; Hidrelétrica de Itaipu, Bonito, Museu Botânico de Curitiba e Tamar – Divulgação)