Educação e Desenvolvimento

Quer um brinquedo para vida toda? Invista em blocos de montar

Por Samantha Shiraishi
@maecomfilhos

Eles são duráveis, não definem sexo ou interesses, cabem para quase todo universo de brincadeiras, não fazem barulho e estimulam muito a criatividade

Quer um brinquedo para vida toda? Invista em blocos de montar

Estamos perto do Dia das Crianças e, embora eu concorde com parte das campanhas contra o consumismo, sou uma incansável defensora do brincar. E aqui em casa, meus três filhos entendem o brincar como uma experiência para exercitar a criatividade, ser livre, fazer de conta e não ter limites para a imaginação.

Brincar é a linguagem que as crianças usam para se manifestar, descobrir o mundo e interagir com o outro. Quando a brincadeira é incentivada, surgem novas habilidades que desenvolvem não só a criatividade, mas também a autonomia. A verdade é que é possível brincar sem ter nada em mãos - como fazem com esconde-esconde, pega-pega e as danças. Mas os brinquedos têm papel fundamental no desenvolvimento infantil.

Por aqui, são as peças de diferentes tamanhos e formatos, feitas de plástico, espuma ou madeira, usadas para montar objetos, utensílios, prédios, veículos, que fazem a alegria geral. Temos uma variedade grande de peças e não raro as crianças (até a caçula, de 2 anos) criam novas peças quando percebem que podem virar uma nova criação.

Por sorte, meus sobrinhos seguem a mesma linha, são inventivos e, para eles, o céu é o limite em termos de brincadeira. E o que une os 5 primos do Rio e São Paulo é a mania de brincar com blocos de montar, por isso, é o presente mais assertivo!

Acho desde os primórdios da humanidade todo mundo já brincou com isso sem saber. Mas registros históricos contam que os primeiros blocos artesanais tinham números e surgiram na Inglaterra no século 17. Aqui no Brasil creio que foi o famoso “Brincando de Engenheiro”, aqueles blocos de madeira que imitavam tijolos e telhados, que inseriram o brinquedo nos lares e tornaram a brincadeira possível para todos, meninos e meninas.

E o legal é que eles atendem a todas as idades também. Desde a pré-escola, quando estimulam a turma a refletir sobre formas e tamanhos e a planejar montagens considerando as relações necessárias para que não caiam, até o Ensino Médio, como vejo aqui, quando projetos robóticos complexos são desafios que permitem os grandes brincarem como criança pequena.

Eu opto por comprar muitas peças, sempre, no estilo “baldão”, mas a tia/madrinha gosta das caixas temáticas e garante um equilíbrio na oferta e no acervo. O importante mesmo é que os brinquedos fiquem à mão, a criança seja livre para usar e que nossa presença esteja garantida para desafiar a montar formas diversas, ora com modelos, ora deixando que criem seus projetos.

Quer mais motivos para se jogar nos blocos? Especialistas em educação garantem que, quando as crianças manipulam brinquedos, elas têm a chance de reproduzir, transformar e até negar situações que vivenciam, além de colocar em cena o que desejam conhecer.

Aproveite a inspiração e brinque muito junto com seus filhos no próximo final de semana!

(Fotos: Arquivo pessoal)