Educação e Desenvolvimento

Seus filhos misturam tecnologia?

Por Jorge Freire Jr.

Quando o novo e o antigo se encontram, eles ajudam no desenvolvimento das crianças

Seus filhos misturam tecnologia?

Meu pai tinha uma máquina de escrever e ele sempre estava lá, batendo em suas teclas. Claro que eu ficava vendo aquelas varetas pulando, imprimindo letras no papel e adorava tudo aquilo.

Depois dele usar, eu brincava um pouco com aquela máquina barulhenta. Foi o meu primeiro contato com um teclado alfanumérico e acabei usando tanto aquela máquina que a minha agilidade de usar o teclado do computador veio dela. Porém, algo engraçado ocorreu.

Um dia me fui na casa de um amigo e lá tinha um belo piano. Quando vi as teclas, comecei a apertá-la e chamei minha mãe.

"Mãaaaaae, isso aqui está quebrado! Não tá saindo letras e o som é estranho!"

Eu devia ter uns 4 anos. Confundi a máquina de escrever do meu pai com um piano. Claro que eu não lembro de nada disso, mas minha mãe não perde a oportunidade de me lembrar isso.

Bem, comentei esse episódio pois ocorreu algo parecido com a minha filha de 1 ano.

Estávamos na casa de amigos e lá tinha uma TV de tubo. Ela estava em um hack baixo e era pequena, 14 polegadas eu acho. Minha filha usa tablets às vezes - até porque a Academia Americana de Pediatria redefiniu o uso para menores de 2 anos e falei disso aqui. Liguei a TV, coloquei em um canal infantil e começaram a aparecer bichinhos na tela.

Qual foi a reação da minha filha?

Claro, foi até lá na TV e começou a apertar os bichinhos, tentando interagir com eles igual ela faz com alguns apps no tablet. E não parou por aí! Ela começou a apertar o botão liga e desliga para tentar mudar de tela, igual faz no tablet.

Esse episódio mostrou que crianças misturam tecnologias e não tem problema nenhum em fazerem isso. Pelo contrário. Crianças aprendem por analogia, conforme descreve o David Wood em seu livro "Como as crianças pensam e aprendem".  

Comparam duas coisas diferentes que têm alguma coisa em comum e tentam reproduzir algo que sabiam previamente. Eu fiz isso com uma máquina de escrever e um piano - lembrando que ambos são artefatos tecnológicos - e minha filha fez o mesmo com uma pequena TV de tubo e um tablet.

Ou seja, as analogias são importantíssimas para o desenvolvimento das crianças e não devemos nos alarmar por causa disso.

Não é porque minha filha usa tablet às vezes que ela acha que tudo reage igual aos app que estão lá. Ela apenas fez uma analogia e isso mostrou que a cabecinha dela está em pleno vapor!

(Imagem: Arquivo pessoal)