Família

Como ficar menos sobrecarregada

Por Daniela Folloni
@blogitmae

O segredo das mães que conseguem ter mais tempo para elas

Como ficar menos sobrecarregada

Sabe qual é a melhor maneira de aliviar as mil e uma tarefas que ficam sob sua responsabilidade? Começar a distribuí-las para a família toda. Isso mesmo, sem apego, nem perfeccionismo.  Pode parecer simples na teoria, mas na hora do vamos ver, muitas de nós ficam tensas só de pensar em olhar uma gaveta arrumada pelo filho ou fralda trocada pelo marido...

É difícil desapegar do nosso jeito de fazer as coisas e deixar o outro aplicar o jeito dele. Difícil, mas necessário, não apenas para ficar menos sobrecarregada, mas também para promover uma nova revolução dentro de casa: a da família que participa.

Nas novas famílias, aquela história de que o homem precisa ajudar a mulher já está antiga. Ajudar significa que um é o responsável e o outro vai dar uma forcinha apenas. É a dinâmica de uma casa - pelos menos no novo milênio, não é isso, né, produção? O verbo do momento? Dividir. Simples assim. Porque a responsabilidade pela casa e pelos filhos é dos dois. Igualzinha.

E sei muito bem que está cheio de homens por aí adorando isso e querendo exercer seu direito dentro de casa. Precisam algumas vezes de chance, de voto de confiança, de direito de voz.

Pode parecer contraditório, mas ao mesmo tempo em que a gente reclama de que está cansada, não abre mão de resolver tudo sozinha. Isso cansa muito!

Para mudar essa história é preciso desprendimento e sair do modo automático. Um exemplo básico que acontece em 99% das casas: o pai coloca na sua filha uma roupa que a mãe acha "nada a ver". Reação automática: ela critica e em 5 segundos muda todo look da menina, só porque não ficou assim do jeito dela.

Detalhe: a menina tinha adorado e o pai também. Sugestão para essa mãe? Mudar o foco e usar esse tempo para se arrumar cal-ma-men-te. Deixar para lá e deixar que cada um faça do seu jeito. Mas aliviar a própria barra.

Os casais mais bem resolvidos e sintonizados que conheço vivem assim: ambos trabalham, ambos fazem sua parte em casa, ambos cuidam dos filhos. Cada um com seus talentos e preferências, para ser fácil para todo mundo.  

E mais: os dois também incentivam os filhos a terem autonomia e participarem das tarefas e responsabilidades da casa conforme vão crescendo. Cai por terra a rainha do lar. E entra em campo um time que joga junto.

(Foto: Free Images)